Unifap lança edital para seleção no curso de mestrado em Biodiversidade Tropical

Imprimir

Postado em terça-feira, 10 de setembro , 2013

A Universidade Federal do Amapá (Unifap) publicou na última segunda-feira, 09, o edital nº 01/2013-Propespg /Unifap, de abertura do processo seletivo 2014 do curso de mestrado em Biodiversidade Tropical. A iniciativa é fruto da parceria entre Unifap, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amapá), Instituto de Pesquisa Científica e Tecnológica do Amapá (Iepa) e Conservação Internacional Brasil (CI- Brasil).

O programa é dividido em três linhas de pesquisa: Caracterização da Biodiversidade, Gestão e Conservação da Biodiversidade e Uso Sustentável da Biodiversidade. Serão disponibilizadas vinte e quatro vagas, preenchidas conforme a disponibilidade dos orientadores. As inscrições terão início no dia 17 de setembro e estendem-se até 17 de outubro de 2013, via internet, por meio do endereço eletrônico www.unifap.br/depsec.

Para se inscrever, o candidato deve possuir nível superior em Instituições legalmente reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) e ter sido aceito por um orientador credenciado pelo curso.   A seleção dos candidatos consistirá em dois exames: escrito e classificatório. O escrito consistirá em provas de inglês e de conhecimentos gerais, baseadas no conteúdo programático definido no anexo IV do edital de seleção. A nota mínima para aprovação é 7,0 pontos.

O exame classificatório consistirá em analise de curriculum vitae. Somente os aprovados no exame escrito participam do classificatório. A lista dos candidatos aprovados será divulgada a partir de 22 de novembro de 2013. Mais informações sobre documentação e o cronograma do processo seletivo podem ser obtidas no site www.unifap.br/depsec.

Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical (PPGBIO)

O PPGBIO tem como objetivo principal formar mestres e doutores com uma forte base científica para colaborar no grande esforço de promover a conservação e o uso sustentável da extraordinária biodiversidade existente no Amapá e na Amazônia. A criação de um Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical foi apontada como prioridade máxima em várias das reuniões interinstitucionais realizadas no Amapá durante os últimos três anos e a sua criação representa um passo importante para dotar a sociedade amapaense com um centro de excelência sobre pesquisa, gestão e uso sustentável de sua extraordinária biodiversidade.

Amapá

O Amapá é o Estado mais preservado do Brasil, contando ainda com mais de 90% dos seus ecossistemas naturais intactos, e considera a sua biodiversidade como um dos seus mais importantes recursos naturais para a promoção do desenvolvimento social e econômico. O Amapá possui 143.537 km2 e possui uma biodiversidade extraordinária, estimada em mais de 400.000 espécies, muitas das quais endêmicas. O Amapá possui quase todos os mais importantes ecossistemas brasileiros: mangues, campos, campinas, cerrado, florestas de terra firme, florestas de várzea e florestas de igapó. A biodiversidade do Amapá é bem protegida, pois 55% do Estado é coberto por unidades de conservação federais e estaduais ou terras indígenas.

Estas áreas protegidas são gerenciadas de forma integrada com as áreas não protegidas, formando o Corredor de Biodiversidade do Amapá, uma das mais inovadoras propostas de conservação da biodiversidade no mundo, com um total de 11 milhões de hectares, ou cerca de 70% do Estado. O coração deste corredor é formado pelo maior parque de florestas tropicais do planeta, o Parque Nacional Montanhas de Tumucumaque, com mais de 3,8 milhões de hectares. Além disso, o Corredor de Biodiversidade do Amapá inclui os últimos grandes trechos protegidos de manguezais das Américas, um dos ecossistemas mais destruídos e pouco conhecidos no Brasil.

O PPGBIO foi aprovado pela CAPES em julho de 2006 e já recebeu um conceito 4, uma nota excelente para um programa que foi recentemente criado. Basta ver que o Programa de Ecologia do INPA, Manaus, um dos mais tradicionais da região, também recebeu o conceito 4 na última avaliação da CAPES. Em termos nacionais, por exemplo, o Programa de Pós-Graduação de Ecologia da Universidade de São Paulo, recebeu o conceito 3. A meta do PPGBIO é tornar-se um programa de excelência internacional em ecologia, conservação e uso sustentável da biodiversidade no prazo de seis anos. Para atingir esta meta, o Colegiado do Programa trabalha em um conjunto de metas bastante ambiciosas e um processo de avaliação rigoroso.

Ascom Unifap

 

Postado em Nas IFES | Tagged , , |