Marcha pela Ciência mobilizará comunidade científica em São Paulo

A Marcha Pela Ciência, mobilização mundial de apoio à pesquisa científica, será realizada no dia 22 de abril, em diversos países. No Brasil, ocorrerá em São Paulo (SP), partindo às 14h do Largo da Batata. O objetivo é disseminar a ideia de que a ciência é fundamental para a construção de políticas e regulamentos de interesse público.

Organizada por cientistas e entusiastas que reivindicam maior reconhecimento da sociedade e dos governantes, a mobilização teve início nos Estados Unidos e já ultrapassa a marca de 300 marchas satélites em diversos países, envolvendo instituições de ponta em ciência e educação. Em São Paulo, a iniciativa partiu de alunos e professores da USP, em parceria com a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), e apoiada pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A data escolhida para o manifesto, 22 de abril, coincide com o Dia Internacional da Terra e representa a união dos cientistas e da sociedade em geral pela valorização das pesquisas na manutenção de políticas públicas e o incentivo para o desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis.

ara os organizadores, um dos objetivos principais da mobilização é democratizar os estudos científicos e torná-los mais acessíveis e abertos à comunidade. “Precisamos aproximar a sociedade da ciência, pois ela é utilizada para o bem comum”, comenta Flávia Virginio Fonseca, aluna de doutorado do Departamento de Parasitologia do Instituto de Ciências Biomédicas da USP. “As pessoas não se interessam pela ciência e parte disso se deve à falta de preparo dos próprios cientistas para lidar com a divulgação dos estudos de maneira fácil e objetiva”. Por isso queremos também conscientizar a comunidade científica sobre a importância dessa parceria com a comunidade. A ciência deve ser inclusiva”, comenta.

Boa parte da população brasileira, segundo os cientistas, enxerga a ciência como algo de difícil acesso e compreensão. “Para esses ela parece complexa porque envolve experimentos e tecnologia, o que não significa que seja difícil ou chata. A ciência é uma excelente ferramenta no desenvolvimento do pensamento crítico, necessários em todas as esferas da vida”, destaca a Dra. Nathalie Cella, docente do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.

Este evento representará a união dos cientistas e da sociedade em geral, pela valorização das pesquisas na manutenção de políticas públicas e o incentivo para o desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis. “No Brasil, temos uma carência de investimentos em pesquisa e de políticas públicas.  Estudos que podem trazer benefícios à saúde pública, ao meio ambiente e novas tecnologias sustentáveis enfrentam a falta de apoio das autoridades”, afirma Felipe Simões, aluno de graduação em Biologia pela Universidade de São Paulo.

Reunindo o maior número possível de instituições e parceiros, a Marcha pela Ciência – SP pretende disseminar a ideia de que a ciência é fundamental para a construção de políticas e regulamentos de interesse público. Além disso, a organização criou uma página no Facebook com o objetivo de divulgar o evento e mostrar que acreditam em uma educação científica mais aberta e consciente. Os entusiastas da causa também poderão contribuir com os custos operacionais do evento através de crowdfunding.

Saiba mais:
Website: http://www.marchapelacienciasp.com
Contato: marchapelacienciasp@gmail.com
Facebook: http://www.facebook.com/marchapelacienciasp
Instagram: @marchapelacienciasp
Twitter: @marchacienciasp

Compartilhe: