Reitores das universidades federais debatem Educação Superior na América Latina e Caribe para os próximos dez anos

Nos próximos dias 11 a 15 de junho, a cidade de Córdoba, na Argentina, irá sediar a III Conferência Regional da Educação Superior (CRES 2018). Além de debater o atual cenário da Educação Superior na América Latina e Caribe e as estratégias para a próxima década, com vistas aos objetivos do desenvolvimento sustentável e definições da agenda Educação 2030 da Unesco, o evento irá celebrar o centenário da Reforma Universitária.

As universidades federais brasileiras serão representadas por 24 reitores, além de vice-reitores e pró-reitores. No mês de maio, eles já haviam enviado uma proposta da Educação Superior brasileira para a CRES. O documento foi produzido em conjunto pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes), pela Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem) e pelo Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e por isso leva as assinaturas de seus respectivos presidentes Emmanuel Zagury Tourinho, Aldo Nelson Bona e Roberto Gil Rodrigues Almeida. A iniciativa de produzir esse documento conjunto visa o fortalecimento do ensino superior público.

A conferência será composta por uma série de debates, com fóruns e eventos sobre o contexto atual do Ensino Superior, seus pontos fortes e fracos, sua história e evolução, bem como as melhorias e realizações desejadas. Além disso, grupos de trabalho devem apresentar propostas que visem alcançar, nos próximos 10 anos, objetivos de desenvolvimento sustentável e as definições da Agenda 2030 da UNESCO.

Nesse sentido, a Andifes está engajada, também, em cumprir a Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), composta por metas que integram um Protocolo Internacional, assinado por 193 países, na Assembleia Geral das Organizações das Nações Unidas (ONU), em setembro de 2015, cujas reuniões têm sido acompanhadas pela reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Paiva, e pelo secretário executivo da associação, Gustavo Balduino.

As conclusões alcançadas na CRES 2018 integrarão a Declaração e o Plano de Ação que os países da América Latina e do Caribe irão apresentar à Conferência Mundial sobre Educação Superior, em 2019 na sede da UNESCO, na França.

Para o presidente da Andifes, reitor Emmanuel Tourinho (UFPA), a CRES 2018 será um grande momento para o Ensino Superior na América Latina. “O objetivo é produzirmos um documento que seja realmente representativo e que traga ações concretas para a educação superior. O documento que encaminhamos apresenta o posicionamento do Ensino Superior público brasileiro, como uma contribuição sistemática para o modelo latino-americano, considerando a importância de um evento da grandeza da CRES em relação às propostas que iremos preparar, a partir desse evento, para os próximos dez anos do ensino superior na América Latina.”

Segundo o vice-presidente da Andifes, Rui Oppermann, as propostas encaminhadas à CRES reafirmam a disposição das instituições públicas de Ensino Superior de buscarem a integração regional da América Latina e do Caribe em cooperação com instituições públicas e privadas, governos e agências internacionais. “Questões como a ausência da autonomia administrativa e patrimonial das universidades, o questionamento em instâncias legislativas e judiciais da liberdade de cátedra, as restrições orçamentárias e de financiamento para o ensino, pesquisa e tecnologia se juntam a uma grande preocupação que é a transformação do Ensino Superior de bem público a produto comercial” afirma.

De acordo com Gustavo Balduino, a Andifes estimula a participação dos reitores das universidades federais na CRES, por compreender a importância para a internacionalização das agendas, dos dirigentes e, consequentemente, das próprias instituições. “A Andifes adota como diretrizes políticas a excelência, a inclusão e a internacionalização, importantes vetores para as universidades federais e o ensino superior que vivem uma nova fase, com o país tendo vários indicadores sociais a exigir melhorias, e em um mundo em que o conhecimento e a educação são passaportes para o diálogo bilateral e com o futuro sustentável”, destaca. Dessa forma, estão confirmadas, até o momento, as participações dos reitores das seguintes universidades na CRES 2018:

Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Jaime Giolo
Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) – Liane Maria Calarge
Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) – Gustavo Oliveira Vieira
Universidade Federal de Goiás (UFG) – Edward Madureira Brasil
Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) – Marcus Vinicius David
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – Sandra Goulart Almeida
Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) – Cláudia Aparecida Marliére de Lima
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) – Paulo Afonso Burmann
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) – Wanda Aparecida Machado Hoffmann
Universidade Federal do ABC (UFABC) – Dácio Roberto Matheus
Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) – Reinaldo Centoducatte
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) – Luiz Pedro San Gil Jutuca
Universidade Federal do Maranhão (UFMA) – Nair Portela Silva Coutinho
Universidade Federal do Pará (UFPA) – Emmanuel Zagury Tourinho – Presidente da Andifes
Universidade Federal do Paraná (UFPR) – Ricardo Marcelo Fonseca
Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) – Anísio Brasileiro de Freitas Dourado
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – Roberto Leher
Universidade Federal do Rio Grande (FURG) – Cleuza Maria Sobral Dias
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – Ângela Maria Paiva Cruz
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Rui Vicente Oppermann
Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB) – Joana Angélica Guimarães da Luz
Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) – Julianeli Tolentino de Lima
Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) – Gilciano Saraiva Nogueira
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) – Ricardo Luiz Louro Berbara
Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA) – José de Arimatea de Matos

Além dos reitores, a Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e a Universidade de Brasília (UnB) serão representadas por seus vice-reitores Luís Isaías Centeno do Amaral, Vanessa Ishikawa Rasoto e Enrique Huelva. E ainda a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Universidade Federal do Pampa (Unipampa) enviarão pró-reitores. O presidente e o secretário executivo da Andifes, Emmanuel Tourinho e Gustavo Balduino também já confirmaram a participação.

 

 

 

Compartilhe: