UFRN integra grupo de combate ao analfabetismo

Representantes do sistema de educação, do setor produtivo e da sociedade civil organizada participaram de reunião na tarde desta quarta-feira, 13, no Instituto Kennedy, para discutir uma proposta de erradicação do analfabetismo no Rio Grande do Norte. A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Maria Paiva Cruz, representou o Fórum de Reitores do RN no evento, onde foi lançado o desafio de zerar em oito anos os índices de analfabetismo das pessoas com 15 anos ou mais. Desse público, mais de 420 mil potiguares não sabem ler e escrever.

A secretária estadual adjunta de Educação e Cultura, Márcia Maria Gurgel Ribeiro, apresentou as linhas gerais da proposta, que tem como principais pressupostos a democratização do acesso, permanência e sucesso na aprendizagem; a inclusão social com a valorização da diversidade; a formação humana integral e a integração da formação escolar à educação profissional. Para tanto, é necessário um conjunto de ações de curto, médio e longo prazos, articuladas com a sociedade civil, os setores produtivos, as organizações comunitárias, outras secretarias do governo e as instituições de ensino superior.

O projeto para erradicação do analfabetismo em oito anos foi idealizado pelo professor da UFRN, Robério Paulino, que complementou os principais pontos da proposta abraçada pelo Governo do Estado. Para a governadora Fátima Bezerra, a iniciativa reafirma o compromisso com a educação ao contribuir para o aumento dos seus índices de qualidade. A reitora da UFRN assegurou apoio ao trabalho e reforçou os esforços da instituição pelo ensino de qualidade como um todo, desde a educação infantil até a pós-graduação.

Ângela Paiva anunciou o empenho para a curricularização da extensão, que permitirá dar significado ao conhecimento produzido na universidade, com especial atenção ao combate ao analfabetismo. A gestora também apontou a criação de um programa de voluntariado para os professores aposentados, como forma de atuação contínua em ações das quais tenham interesse, entre elas a alfabetização de jovens e adultos.

Compartilhe: