Editora UFMG tem novo selo editorial: Incipit

Editora UFMG tem novo selo editorial: Incipit

A Editora UFMG lançou seu segundo selo editorial, o Incipit, com o objetivo de reunir as pesquisas desenvolvidas nas unidades acadêmicas da Universidade Federal de Minas Gerais. O Incipit pretende valorizar a produção interna e contribuir para a divulgação das pesquisas. “A tendência é irmos segmentando nosso catálogo, sempre valorizando nossa produção interna”, explica o diretor da editora, Flavio de Lemos Carsalade. Em 2018, a editora apresentou o selo Estraladabão para publicações infantojuvenis (veja o catálogo no link encurtador.com.br/eozCH).

Neste sábado, 5 de outubro, o Incipit lança duas obras em parceria com Escola de Arquitetura da UFMG. Tessituras híbridas: Encontros latino-americanos em arquitetura e o retorno à cidade, de Gisela Barcellos de Souza e A produção da talha joanina na Capitania de Minas Gerais, de Aziz José de Oliveira Pedrosa. O evento vai contar com uma roda de conversas e sessão de autógrafos com outros autores de livros como Carlos Alberto Maciel, Guilherme Wisnik e Rita Velloso.

O evento acontece em Belo Horizonte, a partir das 11 horas, na Livraria da Rua (Rua Antônio de Albuquerque, 913, Funcionários).

Tessituras hibridas

Encontros latino-americanos em arquitetura e o retorno a cidade

Gisela Barcellos de Souza

Incipit

Área: Arquitetura | Arte

2019, 1ª Edição, 323 pag. ISBN: 978-65-80010-01-1

Formato: 23,0 x 16,0 x 2,0

Peso: 665 grs

Preço: 75,00

O trabalho de Gisela Barcellos de Souza é uma clara e robusta contribuição ao conhecimento da cultura arquitetônica latino-americana. Expõe de maneira contundente, informada e sistemática as alternativas que, no ambiente regional dos anos de 1980-1990, se propuseram para o entendimento da arquitetura e da cidade. É um texto imprescindível tanto para quem queira conhecer e discutir sobre esses anos prolíficos, como para aqueles que se proponham a intervir no espaço público latino-americano com posições que ultrapassem o mero pragmatismo profissional.

A produção da talha joanina na Capitania de Minas Gerais

Retábulos, entalhadores e oficinas

Aziz José de Oliveira Pedrosa

Incipit

Área: Arquitetura | Arte

2019, 1ª Edição, 384 pag. ISBN: 978-65-80010-02-8

Formato: 23,0 x 16,0 x 2,0

Peso: 665 grs

Preço: 84,00

A produção da arte setecentista mineira abrange complexos elementos entrelaçados à história social e cultural que delimitou a formação dos núcleos urbanos instituídos em função da exploração mineral na região. Nela se sobressai a arquitetura religiosa que, embora estudada, ainda demanda a atenção de pesquisadores em prol de se individualizar, em profundidade, sua arte, sua história e as minúcias que cravaram seu processo de produção. Nesse sentido, este livro abrange exames relacionados à talha do estilo joanino, confeccionada, aproximadamente, entre os anos de 1730-1760, elaborada para transformar o austero espaço sacro, convertendo-o em opulento teatro barroco para abrigar a fé da população local. Os resultados obtidos, sobretudo por intermédio do exame de documentação primária, especificaram a influência da talha lusófona na elaboração da arte joanina luso-mineira, os oficiais envolvidos nesse processo e a operação das oficinas para efetivação das obras, cujos resultados permitiram mapear trabalhos de autoria antes desconhecida, agora identificados e devidamente relacionados nesta publicação.

 

Compartilhar