Acordo entre Ufopa e MEC garante a implantação de cursos regulares fora de Santarém

Um acordo firmado entre a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e o Ministério da Educação (MEC), por meio da Diretoria de Desenvolvimento da Rede IFES (Difes/SESu/MEC), torna possível a implantação de cursos regulares de graduação nos municípios de Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná a partir do segundo semestre de 2017.

A reunião – da qual participaram o diretor da Difes, Mauro Luiz Rabelo, e a reitora da Ufopa, Raimunda Monteiro – ocorreu em Brasília no dia 20 de março e tratou especificamente sobre a repactuação dos campi de Santarém, Alenquer, Itaituba, Juruti, Monte Alegre, Óbidos e Oriximiná.

A reitora Raimunda Monteiro afirmou que ainda neste ano os cursos serão implantados. “Essa pactuação sela um compromisso, entre o Ministério da Educação e a Ufopa, de que esses cursos serão implantados. Nós estamos nos preparando, já numa última etapa, junto à Secretaria de Regulação e Avaliação, que vai nos conceder a autorização final; porém já estamos nos preparando também para chamar os professores e preparar um processo seletivo para o ingresso de alunos no segundo semestre de 2017.”

A reitora sintetizou as dificuldades enfrentadas pela Administração Superior para implantar cursos no interior da Amazônia. O projeto de criação da Ufopa previa a implantação de cursos regulares em municípios com mais de 50 mil habitantes. “Neste contexto de crise, a implantação desses cursos é uma vitória de todos nós. Importante nesse processo foi a mobilização da sociedade local, incluindo prefeitos e vereadores, que estiveram conosco participando das audiências públicas e compreendendo as nossas dificuldades”, finalizou.

Pactuação – Na pactuação efetuada em 2010, ficou estabelecido que a Ufopa ofertaria duas mil vagas anuais em suas unidades, incluindo Santarém e os municípios fora da sede. Em contrapartida, o Ministério da Educação liberaria 518 vagas de cargo docente, mais 249 de técnicos administrativos de nível superior e ainda 373 para técnicos administrativos de nível médio, “as quais foram integralmente autorizadas”, conforme informou Rabelo.

A Resolução nº 160, de 25 de agosto de 2016, do Conselho Superior Universitário(Consun) estabelece a criação de oito cursos nos seis campi da Ufopa. A Resolução considerou “as condições concretas da instituição”, bem como “as deliberações resultantes das audiências públicas realizadas nos municípios de abrangência da universidade”.

Bacharelados – Em Juruti serão criados dois cursos, em nível de bacharelado, com 40 vagas cada um: Engenharia de Minas e Agronomia. Em Oriximiná também serão inaugurados dois cursos com 40 vagas cada um: Bacharelado em Sistemas de Informação e Bacharelado em Ciências Biológicas da Conservação. Óbidos receberá a Licenciatura em Pedagogia (40 vagas). O município de Alenquer foi contemplado com o Bacharelado em Administração (40 vagas). Em Monte Alegre será iniciado o Bacharelado em Engenharia de Aquicultura (40 vagas). Já em Itaituba será instaurado o Bacharelado em Engenharia Civil (40 vagas).

De acordo com informações da Comissão Permanente de Processo Seletivos (CPPS), da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proen), que está trabalhando para o reconhecimento dos cursos, os editais para ingresso de alunos devem ser lançados já no segundo semestre de 2017. O processo de contratação de professores, cuja responsabilidade é da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progep), já foi iniciado.

 

Compartilhe: