Afirmação da diversidade

Afirmação da diversidade

Por seis votos a dois, a Suprema Corte dos EUA declarou válido o referendo de 2006 no Estado de Michigan que baniu a utilização de cotas raciais nas universidades públicas locais. É uma decisão complexa, que pode forçar a abertura de novos caminhos para ações afirmativas naquele país.

Tecnicamente, os magistrados não estavam julgando a legitimidade das cotas, mas sim qual é a instância adequada para definir as regras pelas quais se distribuem as vagas em universidades públicas. A maioria dos ministros concluiu que é melhor a decisão ser tomada pelos eleitores do que pelas cortes.

O veredicto faz sentido. É difícil sustentar que o acesso facilitado a uma universidade, política que os próprios defensores de cotas pretendem provisória, constitua uma garantia fundamental sob risco.

Por outro lado, o banimento foi de fato um revés para negros. A proporção de membros de minorias matriculados nas melhores universidades caiu naqueles Estados que proibiram as cotas.

No caso de Michigan, apesar de a população negra em idade escolar ter aumentado, registrou-se, após o referendo, diminuição de pelo menos 25% no total de calouros negros nas principais instituições públicas do Estado.

Não é o caso, entretanto, de tomar a decisão da Suprema Corte como pá de cal sobre a diversidade universitária. A principal instância do Judiciário norte-americano já declarou mais de uma vez que são admissíveis regimes de discriminação positiva. Além disso, o sistema de seleção dos EUA é aberto o suficiente para permitir corpos discentes mais diversos.

Ao contrário do Brasil, onde a legislação quase impõe o uso de provas objetivas, nos EUA os comitês de seleção podem levar em conta critérios mais subjetivos, como entrevistas pessoais.

Com o cerco às cotas raciais, várias universidades já empregam ou debatem critérios sociais alternativos, como renda familiar. Não é só. Mecanismos como oferecer vagas aos 10% dos melhores alunos de cada escola pública também podem funcionar bem. Ou o favorecimento àqueles que possam se tornar os primeiros da família a cursar o ensino superior.

Se a manutenção da diversidade é um valor a preservar, como parece consensual, as universidades têm obrigação de ampliá-la e, assim, evitar que berço e renda se perpetuem como fatores preponderantes do acesso à qualificação.

Folha de São Paulo

Ep Pro WOMEN’S 19 STRETCH MICRO TWILL SKORT
free online games Manshiyat Naser is a city with zero unemployment

Priceless Gift at Affordable Prices
cheap flights plenty of choices instruction with respect to teenage years

Guidance to purchase best watches online
forever 21 MBA Job Salaries

The meaning of color in fashion
onlinegames They have taken over the soap operas

Formal Dining Table Centerpiece Ideas
miniclip Womens Trendy Spring FashionsInspired by the Spring fashion runways

How Much Does a Fashion Designer Make Monthly
kleider I not sure

‘Women in The Arts Miami’ awarded local talent in South Florida
ballkleider another mutants

How to Make Essay Outline
cool math you can ask someone to model the clothes for you

Compartilhar