Andifes assina pacto para a erradicação do mosquito Aedes aegypti

Andifes assina pacto para a erradicação do mosquito Aedes aegypti

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) assinou, junto de outras 18 entidades, o Pacto da Educação Brasileira contra o Zika. A iniciativa do Ministério da Educação (MEC) tem o objetivo de articular uma grande rede de mobilização para realizar um plano de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, da febre Chikungunya e do vírus Zika – em todos os segmentos da educação brasileira. Na ocasião, em razão da ausência da presidente Maria Lúcia, a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ângela Maria Paiva Cruz selou o acordo.

IMG_8916

Em cerimônia nessa quinta-feira, 04/02/2016, no palácio do Itamaraty, que contou com a presença de vários reitores e reitoras de Universidades Federais, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante destacou estratégias que vão ser adotadas para a erradicação do mosquito. Com o pacto, o MEC pretende usar o alcance das redes federal, distrital, estaduais e municipais de educação, em todos os níveis, da pré-escola à pós-graduação, para levar informações sobre as formas de extermínio do mosquito e identificação da doença.

Entre as primeiras ações do acordo estão a discussão sobre o vírus Zika e o mosquito Aedes aegypti nas semanas pedagógicas das escolas da educação básica, na volta as aulas dos estudantes. O ministro também pediu aos reitores que estimulem a abordagem do assunto na recepção dos alunos no início do semestre acadêmico. Por parte do MEC, além da rotina de limpeza das próprias instalações, Mercadante falou de programas que já estão prontos para serem exibidos nas cadeias de tevê e rádio oficiais do governo e do lançamento de um concurso de vídeos de conscientização para serem distribuídos na internet.

No combate ao vírus, o ministro também destacou a importância de fomentar estudos sobre as doenças, como vacinas e soros. “A universidade pode ser um grande centro para formar multiplicadores para combater o mosquito, um centro de pesquisa, de buscar tratamento, de investir na vacina, de conhecer mais a fundo tudo que diz respeito a esse vírus”, concluiu.

Durante o evento, o ministro da Educação recomendou que cada órgão ou entidade educacional tenha um comitê permanente para tratar do combate ao Zika. “No Ministério da Educação estamos definindo cinco responsáveis, um comitê permanente. É fundamental nas universidades, institutos, para que a gente tenha uma estrutura organizada, que receba e leve informações”, disse Mercadante.

Na ocasião, o ministro informou ainda que o governo prepara, para o dia 13 de fevereiro, uma mobilização nacional para conscientização e eliminação dos criadouros. Participarão 220 mil militares, 260 mil agentes de saúde e 48 mil agentes de vigilância sanitária.

Além da Andifes e do ministro Aloizio Mercadante, assinaram o Pacto da Educação Brasileira contra o Zika os representantes das seguintes organizações: Fórum Nacional de Educação (FNE), Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Empresa Brasileira dos Hospitais Universitários Federais, Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), Conselho Nacional das Instituições de Rede Federal de Educação Profissional Cientifica e Tecnológica, Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc), Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), Federação Nacional das Escolas Particulares, Associação Nacional de Educação Católica do Brasil, União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme), Associação Brasileira de Instituições de Educação Evangélicas, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Organização dos Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, Conselho Nacional de Educação (CNE).

Este tema será tratado na próxima reunião do Conselho Pleno da Andifes, nos dias 24 e 25 de fevereiro.

Para mais informações, acesse: http://combateaedes.saude.gov.br/

Fotos:Ascom/Andifes e Isabelle Araújo/MEC.

 

Compartilhar