Andifes divulga manifesto sobre a reforma do Ensino Médio

A Andifes apresenta nesta terça-feira, 20 de dezembro, documento que manifesta a posição da entidade frente à reforma do Ensino Médio. O texto foi elaborado pelo coletivo de reitores, após a realização de seminários regionais promovidos, ao longo do semestre, nas universidades, e também depois das contribuições recebidas durante o encontro nacional realizado no dia 14 de dezembro. O manifesto também contém subsídios dos fóruns de pró-reitores, de especialistas e do Governo Federal.

O evento “Ensino Médio, conhecimento, desenvolvimento e cidadania”, contou com a participação do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTIC), Gilberto Kassab, durante a abertura. Na ocasião, Kassab também se colocou à disposição para participar da próxima reunião do Pleno da Andifes, em janeiro.

img_2646

O evento iniciou pela manhã com a apresentação dos resultados dos seminários regionais sobre a reforma do Ensino Médio. Sobre o tema, os reitores Reinaldo Centoducate, da Universidade Federal do Espirito Santo (UFES), Cleuza Dias, da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Isabel Cristina Auler Pereira, Universidade Federal de Tocantins (UFT), a ex-reitora Maria Beatriz Luce, da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) e o pró-reitor Penildon Silva Filho, da Universidade Federal da Bahia (UFBA) relataram a participação de estudantes, professores, pesquisadores e autoridades e representantes de secretarias e entidades ligadas à educação.

Segundo a reitora Isabel Auler, o tema é atual e precisar continuar a ser discutido. “A intenção é ampliarmos esses debates, no âmbito da UFT, tanto em relação aos alunos do ensino médio que a universidade irá receber, a partir desta MP, quanto em relação as licenciaturas que formarão este novo perfil de professor”, explicou.

Na ocasião, Isabel ainda apresentou novos desafios com a aprovação da MP 746, como o atendimento ao ensino noturno; a flexibilização na implantação das reformas, para não aumentar as desigualdades regionais; o reconhecimento da importância das línguas indígenas que são ensinadas nas escolas; discussão e aprovação da Base Nacional Comum Curricular para fortalecer a implementação do ensino médio integral e a revisão dos currículos das licenciaturas.

img_2748

Após a fala dos reitores, foi a vez do relator da Medida Provisória 746, o senador, Pedro Chaves, e o deputado federal, Reginaldo Lopes, membro da Comissão de Reformulação do Ensino Médio. Durante a oportunidade, a senadora Fátima Bezerra, contestou a urgência do governo federal em pautar o tema por medida provisória, pois o instrumento é impositivo e restringe o debate. Ela também elogiou a Andifes pela iniciativa de aprofundar a discussão. A manhã de trabalho foi encerrada com a participação da diretora da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Teresa Pontual.

Ascom/Andifes

Compartilhe: