Andifes participa de debate na Câmara sobre PIBID

Andifes participa de debate na Câmara sobre PIBID

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), participou no dia 15, na Câmara dos Deputados, da audiência pública para debater “O Papel Estruturante do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência PIBID, desenvolvido pela CAPES/MEC”.

Representada pela pró-reitora Irene Cristina de Mello, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a posição da Associação foi posta pela manutenção do PIBID, dentro de um processo de reavaliação do programa. “A Andifes reconhece a importância do PIBID, sabe que é um programa estratégico para projetos como o Plano Nacional de Educação (PNE), reforma do ensino médio, Base Nacional Comum, entre outros, e por isso já encaminhou ao Ministério da Educação (MEC), um pedido de avaliação do programa”, disse a pró-reitora.

De acordo com a proposta de avaliação da Andifes, passados os anos desde a criação do PIBID, é necessário identificar e mesurar como os objetivos foram cumpridos, quais os gargalos existentes e o que cabe aperfeiçoamento ou mesmo mudanças, para que o programa continue sendo referência na formação de professores.

pibid (2)
Irene de Mello justificou o apoio ao PIBID mantido pela Andifes ao ressaltar o que já pôde ser visto em relação ao ganho de qualidade na formação dos professores e no combate à evasão nas licenciaturas. “Presenciamos a modificação nas licenciaturas dentro das Universidades Federais. Houve oxigenação destes cursos, trouxe autoestima para os estudantes e criou-se ilhas de excelência. Onde tem PIBID tem-se os melhores professores de licenciatura”, defendeu.

Também integraram a mesa de discussão o professor Luiz Carlos de Menezes, representante da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que afirmou que o PIBID veio corrigir a formação dos professores, atribuindo essa falta às universidades. Irene Maurício Cazorla, diretora de Formação de Professores da Educação Básica da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que falou sobre os encaminhamentos do programa, como reavaliação e apoio por intermédio da colaboração entres os entes federados, mas também colocou a preocupação com a possibilidade de cortes.

Dilvo Ristof, diretor de Políticas e Programas de Graduação do MEC, contextualizou o PIBD destacando sua importância na meta 15 do PNE e colocando que o programa não pode ser isoladamente a sustentação da formação da educação básica. Por fim, a presidente do Fórum Nacional dos Coordenadores Institucionais do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Forpibid), Alessandra de Assis, reconheceu o esforço do Governo, mas cobrou as garantidas para sua manutenção, como manutenção das bolsas e repasse do custeio. Alessandra entregou ao deputado Waldenor Pereira (PT-BA) a coleta de mais de 70 mil assinaturas em defesa do programa.

Andifes 

Compartilhar