ANDIFES promove seminário sobre internacionalização das Universidades Federais

ANDIFES promove seminário sobre internacionalização das Universidades Federais

No dia 23 de novembro, aconteceu em Brasília, o seminário “Por que, para que e como internacionalizar a Universidade Federal? ”, organizado pela Andifes. Para o reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, que conduziu a abertura do evento, internacionalizar tem a ver com a natureza do conhecimento. “Para quê internacionalizar? Para trabalhar de maneira solidária em torno da resolução e problemas nacionais e internacionais para a aplicação de pesquisas, buscando a melhoria de vida das pessoas”, disse.

A programação contou com a apresentação do novo programa Ciências Sem Fronteiras, pelo presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Abílio Neves. Ele lembrou que o Ciência sem Fronteiras no formato que ficou conhecido foi finalizado quando a meta de concessão de 101 mil bolsas foi atingida em 2014 e informou que a Capes está trabalhando em um novo formato para o programa, mas que quer contar com o suporte das universidades federais. “Não é a Capes que vai internacionalizar as universidades, elas poderão ter da Capes o apoio para seus planos de internacionalização e, para isso, precisam ser capazes de definir o que querem fazer, em que direção querem avançar e como pretendem construir essa nova imagem, o seu novo projeto institucional. Esse é um componente fundamental da ideia que queremos desenvolver”, completou.

img_2279

A presidente da Andifes, a reitora Ângela Paiva Cruz (UFRN), reiterou que internacionalização é essencial na melhoria da qualidade e na busca da excelência acadêmica e declarou que a entidade vai colaborar na elaboração do projeto. “Precisamos ter um padrão forte de internacionalização, por isso estamos dispostos a cooperar na construção desse projeto, mas garantindo os programas de desenvolvimento institucional de cada instituição”, disse a presidente.

Na sequência, a mesa composta pelo reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher, e pelos professores Carlos Alexandre Neto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e Targino Araújo, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), debateu Internacionalização: Universidade sem Fronteiras. Na oportunidade, o reitor da UFRJ, provocou uma reflexão sobre uma forma sistemática sobre como é entendida a internacionalização. Já Carlos Alexandre Neto, ex-reitor da UFRGS, abordou a missão da universidade no quesito mobilidade acadêmica. “Hoje a formação de um grande número de acadêmicos é globalizada. Assim como a globalização, a internacionalização acadêmica é um fenômeno”, ressaltou o professor. Ele disse também que a internacionalização deveria ser estratégica já a partir do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). “A internacionalização tem a ver com o desenvolvimento da instituição e serve para que as pessoas, que compõe a universidade, tenham uma visão global”, finalizou.

img_2216

O ex-reitor da UFSCar, Targino Araújo abordou os projetos desenvolvidos pela Andifes e citou a participação da UFSCar na rede do BRICS. “Em um passado não muito distante, estávamos reunidos com o MEC para elaborar o PDU, que tem como um dos pontos a internacionalização, a inovação, e eu acho que não devemos abrir mão disso”. Ainda pela manhã, os Colégios de Pró-Reitores de Graduação (Cograd), de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Copropi) e de Extensão (Coex) das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) abordaram a Internacionalização do Ensino, Pesquisa e Extensão. Após a explanação de cada tema, foi aberto espaço para debate entre os participantes.

img_2261

À tarde, a mesa Experiências do Ciências sem Fronteiras e Desafios foi capitaneada pelo reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Anísio Brasileiro, pelo coordenador do Conselho de Gestores de Relações Internacionais das Instituições de Ensino Superior (CGRIFES),  Fábio Alves da Silva, e pelo pró-reitor de Cooperação e Relações Internacionais da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Paulo Peregrino; última atividade do dia apresentou a Institucionalização das Relações Internacionais nas Universidades Federais. O tema foi exposto pelos reitores da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), Josué Modesto; da Universidade Federal do ABC (UFABC), Klaus Capelle; pela representante da Secretaria da Educação Superior (Sesu), Denise Abreu, e pelo assessor de Relações Internacionais do Ministério da Educação, Leandro Barroso.

Ascom/Andifes

Compartilhar