Andifes recebe Ministros Aldo Rebelo e Nilma Gomes durante Conselho Pleno

Andifes recebe Ministros Aldo Rebelo e Nilma Gomes durante Conselho Pleno

CP fevereiro 200

O Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Aldo Rebelo, a Ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), Nilma Gomes, e o secretário executivo do Ministério da Educação (MEC), Luiz Claudio Costa, participaram esta semana da reunião do Conselho Pleno da Andifes, em Brasília. No encontro do colegiado também foram reunidas as comissões temáticas da Associação e discutido sobre planejamento orçamentário. Foram dois dias de reunião com pautas internas e com agenda com os dois novos ministros e com secretário do MEC.

Nilma Gomes retornou ao plenário da Andifes como ministra, depois de conviver com os dirigentes das Associação por um período de dois anos, quando reitora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). A ministra, que estava acompanhada do secretário executivo, Giovanni Harvey e do secretário Ronaldo Crispim, apresentou o trabalho da SEPPIR e destacou que a Andifes será importante em projetos que serão desenvolvidos pela Secretaria.

Um destes projetos é a pesquisa que deverá ser feita com os egressos das Universidades Federais, que entraram através de cotas de políticas afirmativas. “Antes da Lei de Cotas muitas universidades já reservavam vagas para estudantes negros, de escola pública, indígenas e quilombolas. Agora queremos mapear como estes profissionais estão inseridos no mercado de trabalho”, explicou a Ministra.

Nilma também adiantou que a SEPPIR deseja realizar um levantamento do perfil raça-cor de toda comunidade acadêmica das Universidades Federais. Entre outras ações ficou acertado que nas próximas semanas será constituído um grupo de trabalho entre Andifes e SEPPIR para estudar e detalhar novas parcerias.

Cp tarde 033

MCTI
A participação do ministro de CTI, Aldo Rebelo contou com a entrega do documento elaborado pela Comissão de Ciência a Tecnologia da Andifes, que traz os assuntos prioritários que devem ser considerados pelo MCTI, e cujos encaminhamentos poderão contribuir para fortalecimento das Universidades Federais e do desenvolvimento do país. Entre as pautas está a relação das universidades com suas Fundações de Apoio, assuntos diretamente relacionados à FINEP, como edital de CT-Infra e reposição orçamentária CT-Perto, assuntos ligados ao CNPq, como aumento de recursos para bolsas e apoio na aprovação dos projetos legislativos para a área de CTI.

Aldo Rebelo garantiu que nenhuma das demandas da Andifes ficará sem resposta e colocou o MCTI à disposição das Universidades Federais. O ministro adiantou que é prioridade recompor o orçamento de CTI e que serão construídas propostas para buscar mais recursos. Rebelo defendeu a regulamentação de 50% do pé-sal para investir em CTI e sugeriu uma reunião específica para discutir os projetos legislativos, principalmente o PL 2177/11, (marco legal de CTI) e a PEC 12/14 (atualiza o tratamento das atividades de ciência, tecnologia e inovação,) este, que aguarda votação no plenário do Senado. O ministro ressaltou a importância de um trabalho articulado das assessorias parlamentares das entidades ligadas a CTI com o MCTI, no Congresso.

ORÇAMENTO
Os reitores discutiram com o secretário executivo do Ministério da Educação (MEC), Luiz Claudio Costa, sobre planejamento orçamentário para 2015. O secretário disse a saturação econômica do país exige medidas de ajustes, mas que o MEC aguarda a aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias 2015, para ter detalhes sobre os recursos destinados às Universidades Federais. “Enquanto o orçamento não é aprovado no Congresso vamos discutir as pendências, buscar garantir maior repasse financeiro para fevereiro e encaminhar as demandas de capital, mais urgentes para o Ministério do Planejamento (MPOG)” disse. O secretário informou que nas próximas semanas o Ministro Cid Gomes estará presente na reunião do Conselho Pleno da Andifes.

luiz

Luiz Claudio acompanhou a apresentação do Fórum de Planejamento e Orçamento (Forplad) sobre os orçamentos de todas as Universidades Federais, que aponta para necessidade de suplementação ainda para as despesas com investimentos e custeio de 2014. Ele ouviu dos reitores outras demandas que dependem do apoio do MEC, como financiamentos dos Hospitais Universitários e do programa de Educação a Distância (EAD). “Mesmo com as dificuldades financeiras o MEC foi o ministério que mais executou em 2014. O momento agora requer adequação e ajustes. No entanto, sabemos que educação é prioridade para este governo”, afirmou o secretário.

As Comissões Temáticas da Andifes de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Acadêmico, Orçamento, Avaliação e Relações Internacionais, se reuniram para debater os projetos e ações para 2015. Os relatórios de cada grupo de trabalho subsidiarão as políticas públicas da Associação, integrados a projetos nacionais, como o Plano Nacional de Educação (PNE) e a Agenda de Desenvolvimento das Universidades Federais, elaborada pela Andifes.

mosaico

Comissões temáticas

O Conselho Pleno deliberou ainda por priorizar a interlocução da Andifes com o Congresso Nacional. As lideranças de diversos partidos serão procuradas e lhes apresentadas as pautas relevantes para educação, especialmente para as Universidades Federais.

Participaram da reunião cerca de 50 reitores, além de pró-reitores coordenadores de Colégios e Fóruns ligados à Andifes, como Cograd (Graduação), Forplad (planejamento e finanças), COEX (extensão), Fonaprace (assistência estudantil), Copropi (pesquisa e pós-graduação) e Forgepe (gestão de pessoas).

 

Acesse aqui o documento entregue ao ministro Aldo Rebelo 

Compartilhar