Andifes se reúne com Ministério da Educação Superior de Cuba

Andifes se reúne com Ministério da Educação Superior de Cuba

O presidente e 1º vice-presidente da Andifes reitores Amaro Lins (UFPE) e Edward Madureira Brasil (UFG) e o secretário executivo Gustavo Balduino se reuniram ontem, na sede da Associação, em Brasília, com os representantes do Ministério da Educação Superior de Cuba Eduardo Cruz e Barbara Yadira Mellado. Também estiveram presentes a coordenadora de assuntos internacionais da Universidade Federal de Goiás (UFG) Ofir  Bergemann e do diretor do Departamento de Cooperação Acadêmica da Secretaria de Relações Institucionais e Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Paulo Lovato.

A visita tratou das políticas de cooperação entre Ifes brasileiras e universidades cubanas: algumas iniciativas já concretizadas e outras perspectivas de parceria entre os dois países. O representante cubano trouxe mensagem do ministro da Educação de Cuba e disse estar agradecido pela seriedade com que a Andifes assumiu a interação com seu país. Eduardo Cruz citou projetos de diversas Ifes brasileiras realizados em parceria com instituições cubanas.

Uma das ideias surgidas no encontro trata do apoio à criação de mestrados e doutorados interinstitucionais a serem apresentados e discutidos com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal em Nível Superior (Capes). Outra sugestão foi a realização de um encontro bilateral de reitores dos dois países com o objetivo de fazer um balanço das ações e apresentação de propostas de intercâmbio.

Os reitores Amaro Lins (UFPE) e Edward Madureira (UFG) sugeriram que o Ministério Cubano atualize a lista com as áreas do conhecimento de maior interesse das universidades cubanas para facilitar os projetos de cooperação. No caso das universidades brasileiras, os reitores concordaram no interesse de expandir a pós-graduação em áreas estratégicas, tais como cinema e outras não contempladas no país.

O presidente da Andifes ressaltou a criação no Brasil dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs), que podem ser "excelentes vias de relacionamento com universidades cubanas. Ele afirmou que houve um grande amadurecimento na relação entre os dois países e que, ainda na sua gestão, quer deixar agendado um encontro entre pesquisadores brasileiros e cubanos.

 

Compartilhar