Biotecnologia é tema de fórum em Belo Horizonte

Biotecnologia é tema de fórum em Belo Horizonte

Discutir os principais assuntos ligados à biotecnologia em Minas Gerais, visando ao desenvolvimento de novos produtos, equipamentos e serviços. Esse é o objetivo do Fórum de Debates e Negócios em Biotecnologia, que será realizado nos dias 25 e 26 de março, no Royal Golden Hotel, em Belo Horizonte. A promoção é da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), por meio do Arranjo Produtivo Local (APL) de Biotecnologia e Sindicato das Indústrias de Produtos Farmacêuticos e Químicos para Fins Industriais no Estado de Minas Gerais (Sindusfarq).

De acordo com a programação, todas as palestras serão feitas no dia 25. Entre os temas estão: biotecnologia em humanos – análises clínicas e medicina diagnóstica, fitoclone – biotecnologia vegetal, biotecnologia animal, linhagem, agrogenética e legislação com foco nas diversas modalidades de licitação. Este último tema é considerado difícil e polêmico na área de compras de insumos e equipamentos para pesquisa e ensino em empresas. Nos intervalos das palestras haverá apresentação de empresas dos APLs ligados ao Sindusfarq e uma participação do APL de Eletroeletrônico. No segundo dia (26), todo o tempo será reservado à rodada de negócios.

Minas Gerais possui ampla vocação para biotecnologia aplicada à área de saúde, com tradição de instituições voltadas para medicina, bioquímica e farmácia, como Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fundação Hemominas e Centro de Pesquisas Renê Rachou, da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz). Outro destaque mineiro são instituições de renome no desenvolvimento de pesquisas agrícolas como Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal de Lavras (Ufla), Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Universidade Federal de Alfenas (Unifal), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

De acordo com a coordenadora do APL de Biotecnologia, Gislaine Silva, o Estado promove e articula ações de pesquisa, desenvolvimento e inovação em biotecnologia aplicada à saúde humana e animal, agricultura e meio ambiente, gerando parcerias entre o setor acadêmico e o setor empresarial mineiro. O APL trabalha também na qualificação dos setores produtivos para ampliar a capacidade competitiva das empresas. Em 2008, o Estado investiu R$5 milhões nessa área, cujos recursos foram repassados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) e do Tesouro estadual.

Minas é o segundo estado em número de empresas do setor de biotecnologia com 30% dos empreendimentos nacionais, concentrados em três polos: Arranjo Produtivo Local (APL) de Biotecnologia da Região Metropolitana de Belo Horizonte, APL de Biotecnologia do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e APL de Biotecnologia de Viçosa, na Zona da Mata. O número total de empresas é de 48 em 27 municípios.

Compartilhar