Campus do Cefet/RJ inova com a realização de congresso ibero-americano

Campus do Cefet/RJ inova com a realização de congresso ibero-americano

“Com apenas cinco anos de existência, o campus Angra dos Reis inova dentro do Cefet/RJ. A ousadia de realizar um evento internacional com tão pouco tempo de vida é um marco para a instituição, que em 2017 completará cem anos”, afirma a assessora de convênios e relações internacionais do Cefet/RJ, Ângela Norte, a respeito do I Congresso Ibero-Americano de Empreendedorismo, Energia, Meio Ambiente e Tecnologia (I CIEEMAT).

O evento, realizado em Angra dos Reis entre os dias 18 e 20 de outubro, teve o propósito de promover a troca de experiências sobre tecnologias energética e ambientalmente sustentáveis e metodologias de análise de operação e planejamento de sistemas energéticos. A programação contou com palestras e papers de profissionais e pesquisadores ibero-americanos de renomadas instituições tecnológicas, como a Eletrobras Eletronuclear, e de ensino, como a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Lisboa. De acordo com o organizador do congresso, Ronney Mancebo, “o evento surgiu do Grupo de Pesquisa em Empreendedorismo, Energia, Meio Ambiente e Tecnologia (GEEMAT), de caráter multidisciplinar, que abrange todas as áreas e linhas de pesquisa dos docentes do Cefet/RJ de Angra dos Reis”.

O diretor do campus, Tiago Siman, considera a realização do congresso o desdobramento de um processo de crescimento institucional continuado. “O campus tem explodido em crescimento nesses cinco anos, especialmente nos dois últimos. A unidade é muito nova e há muitos investimentos acontecendo.” Siman pondera que o contexto regional é favorável à expansão, sobretudo devido à presença de empresas como a Eletrobras Eletronuclear e a Petrobras.

A Eletronuclear foi uma das principais parceiras do congresso. Como enfatiza o assessor de Responsabilidade Socioambiental e Comunicação da empresa, Paulo Gonçalves, a relação com o Cefet/RJ antecede até mesmo a implantação do campus na região. “Brigamos muito para sediar o Cefet/RJ perto da usina, pois foi a primeira instituição de ensino a abraçar a demanda reprimida pela ampliação do cabedal tecnológico de nossos profissionais”, afirma.

O Comitê de Bacia Hidrográfica da Baía da Ilha Grande também apoiou o evento. Para o presidente da entidade, Pedro Magalhães, as discussões realizadas no congresso convergem com as preocupações do comitê. “A região da Baía da Ilha Grande tem um grande potencial de crescimento e, ao mesmo tempo, conta com a maior área de Mata Atlântica do país. Toda tecnologia aqui precisa ser limpa. Por isso, precisamos fomentar a discussão e a pesquisa nessa área.”

O I CIEEMAT também contou com o apoio da Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

DICOM – Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro

Compartilhar