Candidatos propõem mudar currículo

Candidatos propõem mudar currículo

Entre as promessas comuns estão também aumentos salariais a professores; especialistas pedem que PNE seja respeitado

O plano de governo dos três principais presidenciáveis nas eleições deste ano – Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) – prevê mudanças no currículo das escolas brasileiras. Em comum, eles também prometem melhorar a qualidade do ensino, avançando tanto na formação quanto na remuneração de professores. Para especialistas, o caminho a ser seguido na área do ensino já está traçado no recém-sancionado Plano Nacional de Educação (PNE), que foi aprovado pelo Congresso depois de três anos e meio de debates. Assim, o desafio agora seria transformar o PNE em realidade.

A definição de uma base curricular nacional comum para todas as escolas brasileiras consta na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que é de 1996, mas nunca saiu do papel. A ideia é estabelecer conteúdos mínimos que os alunos devam aprender ano a ano, no Ensino Fundamental e médio. Vamos fazer uma mudança curricular e na gestão das escolas , diz o plano de governo de Dilma para a Educação. Segundo sua assessoria, as propostas da área de Educação ainda serão discutidas e aprofundadas em reuniões setoriais.

O plano de Aécio prevê a definição de uma base nacional comum para os currículos da educação básica dos sistemas de ensino estaduais e municipais . Coordenadora da área de Educação do plano tucano, a ex-secretária de Educação de São Paulo Maria Helena Guimarães de Castro diz que as atuais Diretrizes Curriculares Nacionais são vagas e não chegam às escolas.

– O Brasil está atrasado nesse debate. Hoje os alunos não aprendem os conhecimentos essenciais que precisam aprender a cada ano. Todos os países têm currículo nacional ou base curricular comum. Isso não interfere na autonomia dos estados ou municípíos e serve de referência para a avaliação, a produção de materiais didáticos e a formação de professores – diz Maria Helena, que foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Erradicar o analfabetismo

Em relação à base curricular comum, o plano de Campos é o mais tímido: propõe acelerar o debate em torno do assunto.

O plano do ex-governador de Pernambuco propõe a erradicação do analfabetismo absoluto, bem como o avanço rumo à superação do analfabetismo funcional. A equipe de Campos destaca que o analfabetismo da população de 15 anos ou mais chegou até mesmo a aumentar recentemente, passando de 8,6% para 8,7% dos jovens e adultos do país, entre 2011 e 2012, segundo o IBGE.

Na mesma linha, o plano de Aécio menciona o compromisso com a completa erradicação do analfabetismo . Já o trecho referente à Educação no plano de Dilma não trata do analfabetismo, um problema histórico que chegou a ser definido como prioridade do Ministério da Educação (MEC) no primeiro ano do governo Lula, em 2003, mas acabou deixando de ser uma preocupação central. O programa Brasil Alfabetizado, do MEC, tampouco é citado no plano de governo. Segundo o comitê de campanha de Dilma, o documento registra que o dinheiro do pré-sal será usado para tornar realidade o PNE, que prevê o fim do analfabetismo absoluto nos próximos dez anos.

O novo ciclo de desenvolvimento proposto para o segundo mandato da presidenta Dilma será lastreado pela Educação. Esse papel central já foi reconhecido, nos últimos 12 anos, na ampliação do orçamento federal do setor, que cresceu 223%, passando de R$ 18 bilhões para R$ 112 bilhões, diz e-mail enviado pelo comitê de Dilma.

Programas lançados nos governo Lula e Dilma são citados tanto no plano da presidente quanto no de Aécio. É o caso do PROUNI, do Fies e do Pronatec, que oferece ensino técnico e profissionalizante.

O coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, diz que os presidenciáveis, assim como os candidatos a governador, não precisam reinventar a roda. Afinal, o Congresso aprovou neste ano – e Dilma sancionou sem vetos – o novo PNE, que estipulou 20 metas educacionais para o Brasil ao longo de dez anos.

– Ficaria muito mais fácil para candidatos a governador de estado e a presidente da República seguir as diretrizes, metas e estratégias do PNE. Temos que superar a lógica dos programas, que dialogam mais com as necessidades do marketing eleitoral, e focar num plano de Estado – afirma Cara.

É o que pensa também a gerente de Projetos da ONG Todos pela Educação, Andrea Bergamaschi:

– Eles precisam olhar para o PNE como um instrumento orientador. Foi para isso que o plano foi discutido nos últimos quatro anos. Ali estão as políticas que o país entende como prioritárias para a agenda dos próximos dez anos.

O plano de Campos menciona algumas estratégias do PNE, como a adoção do chamado Custo Aluno Qualidade, que estabelece parâmetros sobre o que deve ser feito para garantir a oferta de ensino de qualidade – e qual o custo disso. Ele propõe também a criação de um Sistema Nacional de Educação, com a definição clara de papéis das prefeituras, dos estados e da União.

Bônus aos professores

O plano de Aécio contém uma proposta polêmica no meio educacional: a vinculação dos salários dos professores à melhoria da aprendizagem dos alunos. Esse tipo de iniciativa já foi adotado localmente no país, mas nunca em nível nacional. O plano tucano prevê também a estipulação de metas de melhoria da qualidade entre os governos locais e as escolas, assim como a reforma do ensino médio. Essa reforma do ensino médio levaria à alteração do atual formato do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

Segundo Maria Helena, a ideia é permitir que os estudantes possam escolher áreas do conhecimento para aprofundar o aprendizado. Assim, além de uma base comum de Língua Portuguesa e Matemática, igual para todos, os alunos poderiam optar, a partir do 2º ano do ensino médio, por uma carga horária focada nas ciências humanas ou da natureza. Desse modo, o ENEM também mudaria, oferecendo provas distintas para esses diferentes grupos de alunos.

Demétrio Weber – O Globo

Indian Wedding Fashion Tips For A Non
watch game of thrones online free am not able to0 am not able to hold thought the ornately careful ways so hair coming from qin dynast

Ask Roofers In Ottawa About Sub Contracting
games online attire to efforts because you

Anyone have any experience with this Alpine Swiss card case wallet
mermaid wedding dresses understanding your model outlook fit your way of life

Jaguar Beckford talks Rainbow Fashion Week and social responsibility
cheap flights HomeGoods a discount home fashion retailer

15 Moments You Wish You Were A Victoria
free online games Patrick Swayze and Kurt Russell

The Latest in Window Treatment Styles
games the amount of money totally a dressmaker receive sponsorship money every year

Five Tips For Buying A Brazilian Bikini Online
ballkleider the actual analysis of the 2010 basketball shoes

Shoes Designed for Comfort and Fashion
cool math stud earrings and a charm bracelet

Compartilhar