Capes divulga resultado do Programa Institucional de Internacionalização

Projetos vão beneficiar alunos, pesquisadores e professores de 36 instituições de ensino superior do Brasil

Projetos selecionados serão iniciados em novembro e terão um prazo de duração de quatro anos – Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Foram aprovadas no processo de seleção para o Programa Institucional de Internacionalização (PrInt) 36 instituições de ensino superior brasileiras. O resultado final foi divulgado nesta segunda-feira (1), pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao Ministério da Educação.

Os projetos selecionados terão início em novembro e um prazo de duração de quatro anos. A partir de 2019, R$ 300 milhões serão investidos anualmente pela Capes no programa.

Vantagens

O PrInt traz uma série de vantagens não apenas aos alunos e pesquisadores, mas também ao corpo docente das instituições participantes. O programa promove o intercâmbio constante entre universidades de excelência de todo o mundo, melhorando a qualidade dos cursos de pós-graduação brasileiros e dando maior visibilidade à pesquisa científica desenvolvida no País.

A iniciativa também estimula as redes de pesquisa internacionais integradas às instituições brasileiras, o que garante um acesso maior dos alunos do Brasil aos estudos realizados no exterior. Além disso, o PrInt proporciona a mobilidade internacional de professores, pesquisadores e estudantes de pós-graduação e aumenta a atratividade de estrangeiros para o País, ajudando os brasileiros na troca de experiências.

As ações financiáveis pelos PrInt são as seguintes: auxílio para missões de trabalho no exterior; recursos para manutenção de projetos; bolsas no exterior (doutorado sanduíche, professor visitante júnior e sênior e capacitação em cursos de curta duração), e bolsas no Brasil (jovem talento, professor visitante e pós-doutorado).

Requisitos

Para participar do PrInt, as instituições de ensino superior devem ter, no mínimo, quatro programas de pós-graduação e dois cursos de doutorado recomendados pela CAPES na última Avaliação Quadrienal, realizada em 2017. O edital do projeto também determinou que as universidades precisavam definir temas estratégicos e metas para melhorar sua pós-graduação, além de demonstrar como poderiam ganhar maior protagonismo internacional com o programa.

Fonte: Governo do Brasil, com informações da Capes

Compartilhe: