CEFET/RJ – Eletronuclear investirá mais de R$ 9 milhões no campus Angra dos Reis

Os recursos serão utilizados principalmente para equipar laboratórios de todos os níveis de ensino

O campus Angra dos Reis ganhará nova estrutura com o convênio de R$ 9,496 milhões assinado entre a instituição e a Eletrobras Eletronuclear. O investimento será destinado à aquisição de equipamentos, mobiliários e acervo para a biblioteca.

Os recursos serão utilizados principalmente para equipar laboratórios dos cinco cursos oferecidos pelo campus. Serão beneficiados 18 laboratórios, vinculados ao curso técnico em Mecânica, às graduações em Engenharia Mecânica, Engenharia Metalúrgica e Engenharia Elétrica e à pós-graduação em Engenharia Mecânica e Eficiência Energética.

O convênio terá vigência de 36 meses e será executado em três etapas, com a liberação anual de uma parcela correspondente a aproximadamente um terço do recurso total. De acordo com o diretor do campus, Tiago Siman, a primeira etapa priorizará os laboratórios dos cursos que estão em funcionamento há mais tempo e cujas aulas práticas já estão em fase de oferta.

Na avaliação do diretor, o convênio ajudará a “consolidar cursos de graduação na cidade de Angra dos Reis e entorno. Atualmente, a região possui cerca de 500 ou 600 alunos nesse nível de ensino, quando deveria ter aproximadamente 6 mil”.

O aporte de recursos realizado pela Eletrobras Eletronuclear visa ao cumprimento das condicionantes da licença de operação da empresa expedida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). A empresa precisa investir R$ 484 milhões na região, em projetos de entidades parceiras, em áreas como meio ambiente, defesa civil, educação, atividades econômicas, saúde, saneamento e cultura. Apesar disso, os projetos apresentados desde 2008 somam apenas R$ 143 milhões.

“O meio acadêmico é extremamente importante para nós. Estar ligado ao Cefet/RJ significa, para uma empresa como a Eletronuclear, ter pessoas gabaritadas para apresentar um projeto com todos os itens essenciais – escopo, valor e tempo definido”, afirma o coordenador de Responsabilidade Socioambiental e Comunicação da Eletronuclear, Paulo Gonçalves.

ASCOM – Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca

Compartilhe: