CGU apresenta à Andifes métodos de auditoria do Reuni

CGU apresenta à Andifes métodos de auditoria do Reuni

O coordenador geral de auditoria da área de Educação da Controladoria Geral da União (CGU) Américo Martins apresentou, nesta terça-feira (27), à diretoria executiva da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), os métodos de atuação da CGU na auditoria do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais, o Reuni. A diretora de desenvolvimento da Rede de Ifes do Ministério da Educação Adriana Weska também participou da reunião, assim como representantes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Universidade Federal do ABC (UFABC), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) e Universidade Federal Tecnológica do Paraná (UTFPR).
 
Inicialmente, Américo Martins apresentou a estrutura da CGU e explicou a atividade de acompanhamento dos programas de governo desenvolvido pelo órgão. O sistema de acompanhamento da CGU parte da análise das políticas públicas e do orçamento destas, passa por uma fase de hierarquização dos programas e chega às ações de controle, que podem se desenvolver nos moldes de auditoria ou fiscalização. Nas Instituições Federais de Ensino Superior, o mais comum é a ocorrência de auditorias, mas o coordenador enfatizou que o órgão utilizará da fiscalização no que diz respeito ao acompanhamento das obras do Reuni.
 
Numa primeira fase, as obras do Reuni serão objeto da análise da CGU. A conformidade das obras com as metas do governo é um dos pontos a serem acompanhados. Nesse sentido, a diretora Adriana Weska enfatizou a importância de manter atualizado o Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec), sistema corporativo que será fonte de dados para as auditorias da Controladoria.
 
Segundo Américo Martins, o processo de auditoria do Reuni envolve levantamentos via sistemas corporativos, entrevistas com gestores, verificação in loco, análise e consolidação de resultados e a realização de pilotos, como as iniciativas que tiveram início hoje (27/10) nas Universidades Federais de Sergipe e Pernambuco. A intenção da Controladoria é visitar uma obra de cada universidade.
 
O presidente da Andifes reitor Alan Barbiero (UFT) ressaltou a importância do Reuni para o fortalecimento das universidades federais e a complexidade do programa, devido ao seu tamanho e diversidade. “Queremos que toda a sociedade perceba os resultados do Reuni e que o programa tenha total transparência. Esse diálogo é importante para entendermos a perspectiva da Controladoria e vocês entenderem a nossa”, ressaltou o reitor.
 
Acórdão 2731
O coordenador da CGU assegurou que os recursos repassados para fundações de apoio às universidades antes do Acórdão 2731 do Tribunal de Contas da União (TCU) não sofrerão ressalvas nestas auditorias.

Os procedimentos de auditoria e fiscalização terão início no final de janeiro de 2010.

Confira a apresentação no link:

http://200.130.15.52index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=428&Itemid=27

Compartilhar