Ciência sem Fronteiras terá bolsa para mestrado profissional

Ciência sem Fronteiras terá bolsa para mestrado profissional

No próximo mês, o programa Ciência sem Fronteiras terá bolsas para curso de mestrado profissional, cuja duração é entre um e dois anos, com maior enfoque no mercado de trabalho.

O edital será aberto em novembro para 1.000 bolsas, num primeiro momento apenas em instituições dos Estados Unidos. Os selecionados deverão iniciar o curso a partir do segundo semestre de 2014. As áreas disponíveis são aquelas já contempladas pelo programa, como tecnologia aeroespacial, petróleo e gás, energia e biotecnologia.

Lançado em 2011, o Ciência sem Fronteiras tem o objetivo de aumentar o intercâmbio de estudantes brasileiros em instituições de ensino superior de diversos países –a meta é chegar a 101 mil bolsas concedidas até 2014.

A nova modalidade do programa terá os mesmos benefícios hoje concedidos aos bolsistas, como passagem aérea e seguro-saúde.

PARTICIPAÇÃO PRIVADA

O ministro Aloizio Mercadante (Educação) afirmou que o lançamento de mestrado profissional no programa pode estimular maior participação das empresas privadas. Das 101 bolsas do Ciência sem Fronteiras, 75 mil são de responsabilidade do governo federal e as outras 26 mil são bancadas pelo setor privado.

Mercadante afirmou, no entanto, que o número de bolsas concedidas pelas empresas está “bem abaixo do esforço que estamos fazendo”. O ministro não revelou o número: afirmou que, de acordo com o andamento do programa, as empresas já deveriam ter desembolsado o equivalente a 12 mil, mas que somente “parte das bolsas” foram concedidas.

“Estamos cumprindo todas as metas do programa, mas sobrecarregando nosso orçamento. É importante que haja um esforço [do setor privado]”, disse.

USP

Questionado sobre a queda da USP (Universidade de São Paulo) no THE (Times Higher Education), principal ranking internacional de universidades da atualidade, o ministro atribuiu a mudança de posição à questão da língua inglesa –o que representaria uma baixa internacionalização da entidade.

A USP caiu 68 posições no ranking, do 158º lugar no ano passado para um grupo que vai do 226º ao 250º na nova lista.

“Esse é um critério que parece que impactou na USP. Não é um problema de produção acadêmica, de desempenho científico”, disse o ministro.

Folha de São Paulo

 

 

What are the skills needed to be a fashion designer
watch game of thrones online free Black outfits can also be overpowering

Best hair product for hair style like this
free games online an end regarding apparel upgrades

Plus Size Clothing Without Stress
cheap prom dresses and charming traditional beauty

Gucci Is the most Fashionable Brand all over the World
cheap flights She attends meetings

5 Practical Everyday Uses of Cheap Landau Scrubs
forever 21 when you buy new shoes

Having An Delegant Image Of Fendi Bag
kleider is what Nike had in mind

Miami International Fashion Week 2010
ballkleider it does work on high heels

Top 5 places to find the perfect Valentine
cool math games Exit at Avenue I and drive east to Division Street

Compartilhar