CNPq apoia UFSC em projeto que insere Astronomia e Física nas escolas e comunidade

CNPq apoia UFSC em projeto que insere Astronomia e Física nas escolas e comunidade

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está entre 40 instituições brasileiras contempladas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) na Chamada 85/2013 – “Apoio à criação e ao desenvolvimento de Centros e Museus de Ciência e Tecnologia”. O projeto selecionado, “A Astronomia e a Física vão à Escola e à Comunidade”, teve início em 2012 e tem como principal meta “fomentar o interesse da comunidade escolar e local pela Astronomia e ciências afins”.

A proposta será executada em articulação direta com o Planetário e o Observatório da UFSC – espaços tradicionais de disseminação do conhecimento dessas áreas no estado de Santa Catarina – e conta com a parceria do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), de grupos de astronomia amadores – Grupo de Estudos de Astronomia (GEA) e Núcleo de Estudos e Observação Astronômica José Brazilício de Souza (NEOA) – e da Oficina do Aprendiz.

No projeto apresentado ao CNPq, mostrou-se a importância da iniciativa frente às necessidades das escolas brasileiras. Explica-se que “a exemplo dos países mais adiantados, a Astronomia era ensinada no Brasil até 1930. Por razões ainda incompreensíveis, foi afastada dos bancos escolares e passou a ter uma tímida aparição em poucas páginas nos cadernos e livros de Ciências, limitando-se a descrever o Sistema Solar e a fornecer tímidas pinceladas sobre as estrelas, galáxias e o cosmo. Nas escolas de nível superior, na formação dos professores, limita-se a um semestre, ou então é disciplina optativa, não preparando adequadamente os futuros mestres das novas gerações, não os habilitando a dar um passo mais além no compartilhamento do conhecimento humano. As escolas básicas, que deveriam inspirar a curiosidade infanto-juvenil e  instigar os jovens ao conhecimento científico, a ensiná-los a gostar das ciências naturais e aos ensinamentos da Física e da Astronomia, não estão equipadas com o mínimo necessário para, de uma forma lúdica e prática, estudar os fenômenos naturais por meio de instrumentos e equipamentos simples e interativos, mas que se tornam fortes em conteúdo, e que são de fácil disseminação, democratizando assim o conhecimento e proporcionando sua clara compreensão.”

O projeto irá levar às escolas da rede pública de ensino fundamental e médio e a espaços culturais e sociocomunitários da Grande Florianópolis exposições itinerantes de instrumentos históricos de Astronomia e de experiências de Física. Também irá desenvolver oficinas de observação e estudo de fenômenos mediante a construção de observatórios astronômicos solares no Planetário da UFSC e nas escolas.

Para tanto, pretende-se criar um grupo de formação permanente, com 20 professores das dez escolas participantes, contando com um professor de Ciências e outro de Geografia por centro educativo. Também serão capacitados alunos do ensino superior, graduados, recém-formados e profissionais do ensino como mediadores científicos para atuar nas exposições. Outras ações interessantes são: publicar um caderno com referências teóricas da história da Astronomia; e criar um portal digital para a inserção de propostas didáticas e conhecimentos por parte de professores, alunos e comunidade.

“Um projeto para se perpetuar”, deseja o coordenador Everton da Silva, professor do Departamento de Geociências da UFSC, que trabalha juntamente com as técnicas do Planetário, Edna Esteves da Silva e Tânia Maris Pires da Silva; o físico Ricardo Gutierrez Garcés; a geóloga Ofélia Ortega; o engenheiro mecânico e presidente do Grupo de Estudos de Astronomia (GEA), Adolfo Stotz Neto; os professores de Física da UFSC, Antônio Nemer Kanaan Neto, e do IFSC, Marcos Aurélio Neves; e o psicólogo Nicolas Lindner.

No dia 4 de fevereiro, foi realizada uma reunião para planejamento das atividades do projeto. O coordenador explicou que o orçamento total era superior ao que foi aprovado pela Diretoria do CNPq. Desta forma, o projeto necessita de novos fomentos, e, para não deixar de cumpri-lo da forma como foi idealizado, busca-se apoio nas pró-reitorias da UFSC, na Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF)/Secretaria de Educação (SED) e no próprio Planetário.

O físico Ricardo, que trabalha diretamente com a construção de observatórios e instrumentos astronômicos históricos, demostrou o uso desses objetos, tais como a Esfera Amilar, que traz a representação dos movimentos aparentes do Sol. Os artefatos, fabricados pela Oficina do Aprendiz em 2013, farão parte das exposições e serão cedidos aos estabelecimentos de ensino. O grande potencial de levar a exposição foi identificado, inicialmente, no Colégio de Aplicação da UFSC e na Biblioteca Pública Municipal de Lages.

Os antecedentes do projeto no Brasil datam de 2012, com a exposição itinerante “Astronomia e Física ao alcance de todos” desenvolvida no âmbito do projeto “Aprendiz de Ciências”, da Oficina do Aprendiz, em parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Fundação de Ensino e Engenharia de Santa Catarina (Feesc).

O projeto será composto pelas seguintes etapas:

1. exposição interativa nas escolas e nas comunidades;

2. observatórios de acompanhamento solar na área externa do Planetário e Observatório Astronômico da UFSC, e nas escolas;

3. instalação de equipamentos interativos na área externa do Planetário e Observatório Astronômico da UFSC;

4. formação de mediadores científicos para exposição itinerante;

5. formação permanente de professores dos ensinos médio e fundamental;

6. apoio a clubes de Astronomia;

7. promoção de eventos astronômicos;

8. cadernos de divulgação científica de referência teórica e de sugestão de atividades;

9. portal digital;

10. grupos de estudo;

11. visitas técnicas (nacionais e internacionais) a museus e espaços de divulgação científica.

 

 

 

Rosiani Bion de Almeida/Jornalista da Agecom/UFSC/Diretoria-Geral de Comunicação – Com informações do projeto

Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/Diretoria-Geral de Comunicação

Fashion Tips for Hourglass Body Shape
watch game of thrones online free including Schmidts Restaurant

What are the greatest ADVANTAGES with wholesalers
free games online Banana Republic basic cotton tees retail for

How to Create Rhinestone Belt Buckle on Your Own
games online Every 3000 years

5 Questions with Kelly Love of Around the City Vintage
cheapest flights taste on a tight budget

Stay Away From Coach For Now
forever21 creating outrageous outfits for herself and Subaru

World Leaders Seek Mass Depression
onlinegames not much else at all

A Serious Look at Sirius After Its Fall Below
jeux especially if you know where to look

What Is the Oldest Bar in Paris
ballkleider Clothing for formal dinners

Compartilhar