Com corte em orçamento, MEC vai reduzir bolsas e repasse para obras

Com corte em orçamento, MEC vai reduzir bolsas e repasse para obras

O corte de R$ 9,4 bilhões no orçamento do Ministério da Educação vai afetar o repasse de verbas federais para obras no setor e o número de vagas e bolsas de programas como Ciência sem Fronteiras e Pronatec.

“Não podemos ignorar que este é um ano difícil financeiramente”, afirmou o ministro Renato Janine (Educação) em audiência pública no Senado Federal, nesta terça-feira (9). Ele destacou, no entanto, que ações “extremamente importantes” terão seus recursos preservados.

É o caso de repasses para merenda e transporte escolar das redes de educação básica e o custeio das universidades federais. Ao mesmo tempo, obras em campi de instituições de ensino superior serão afetadas: “Obras que estão avançadas, serão concluídas. Obras que estão no início, serão adiadas”, disse Janine.

Durante cerca de quatro horas, ele falou sobre programas e ações do MEC em audiência pública da comissão de educação do Senado.

“Não adianta brigarmos com a realidade. O orçamento é limitado pela economia, não podemos propor ou prometer o que não é viável agora. () Não será fácil a gestão do MEC neste ano”, concluiu.

GREVE NAS FEDERAIS

Janine afirmou que o ministério está aberto ao diálogo, mas fez crítica indireta à paralisação de servidores e docentes de universidades federais. “Já foi dito de início que havia data marcada de greve”, afirmou ele sobre primeira reunião entre sindicatos e representantes da pasta.

Segundo Janine, a paralisação de técnicos administrativos atinge 56 das 63 federais. Os docentes, por sua vez, cruzaram os braços em 19 instituições. “Não foi solicitada reunião de negociação. Fico muito contente [em saber] que a intenção dos movimentos seja de agendar [uma reunião]”, disse o ministro ao ser questionado sobre o assunto.

Flávia Foreque – Folha de S. Paulo

Compartilhar