Complexo da área de Saúde da UFT será inaugurado nesta quarta

Complexo da área de Saúde da UFT será inaugurado nesta quarta

Mais de R$ 8 milhões em investimento, seis prédios, um Bloco de Apoio Logístico Acadêmico (Bala), mais de 30 mil metros quadrados de área, 15 salas de aula, 18 laboratórios. Esses são alguns números do Complexo da Área de Saúde da Universidade Federal do Tocantins, que será inaugurado nesta quarta-feira, dia 25 de março, às 17h30, no Campus de Palmas da UFT.

Toda essa infra-estrutura foi construída em um ano e meio para atender às demandas dos cursos da área de Saúde da Instituição. O diretor de Obras da Universidade, Luciano Sbroglia, explica que os seis edifícios foram construídos com o mesmo padrão. "Três deles foram subdivididos em salas de aula; os outros três abrigam os laboratórios. Além disso, há um bloco administrativo, com salas de apoio, coordenações, entre outros". O diretor ressalta ainda que todos os novos prédios da UFT hoje seguem as determinações da norma NBR 9050 de acessibilidade.

Uma outra novidade é que a estrutura é protegida com brises de alumínio, elementos de proteção contra o sol que garantem maior conforto térmico. Esse recurso tecnológico auxilia a criação de um microclima entre o brise e a parede, ajudando a otimizar o uso do condicionador de ar nas salas, uma vez que não há transmissão de calor do lado externo para o interno.

Um sistema de filtragem específica de ar também foi instalado em alguns ambientes, como os laboratórios. O sistema funciona como um controle biológico por meio de equipamentos, regulando a entrada de partículas naquele ambiente para que não haja influências de sujeira do ar na análise de uma lâmina, por exemplo.

Ainda faz parte da estrutura do Complexo toda a pavimentação externa, asfaltamento, estacionamentos, iluminação das vias e paisagismo no local. "Os equipamentos que serão instalados nos laboratórios são caros e a poeira danificaria não só eles, como os condicionadores de ar", destaca Sbroglia.

Melhorias – "A nova estrutura de laboratórios, logística e administrativa visa não só formar profissionais de qualidade, mas também fortalecer a integração com o sistema de saúde do Estado, qualificando mais a saúde no Tocantins e investindo na produção científica, pesquisa e extensão na área", pontuou o reitor da UFT, Alan Barbiero. "Para nós é um sentimento de grande realização. Tivemos o desafio de otimizar os recursos e colocar tudo em prática em tão pouco tempo, uma vez que os cursos de Saúde na UFT é algo novo", lembra a coordenadora do curso de Medicina, Núbia Maia.

Para quem pensa que os investimentos do curso param por aí, a coordenadora explica que não. "Tudo o que foi feito no Complexo é a parte inicial. Agora temos um novo desafio que é a reforma do Hospital Geral de Palmas, como extensão de ensino para os nossos alunos".

MEC – A nova estrutura já tem surtido efeito bastante positivo. O curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins recebeu nota quatro na avaliação do Ministério da Educação (MEC). A nota é a segunda mais alta possível, e significa que o curso está além do referencial de qualidade exigido pelo órgão – um feito, especialmente para um curso criado em 2007.

Segundo Núbia, os examinadores do MEC, durante sua visita à Instituição, destacaram positivamente os laboratórios e a qualificação do corpo docente. Para ela, a avaliação positiva do MEC confere à Universidade a responsabilidade de manter a qualidade. "Nossa missão agora é manter sempre essa nota, e batalhar para que, na próxima avaliação, ela seja um cinco – a nota máxima".

Compartilhar