Conferência na UFMG trata dos impactos da biotecnologia na vida humana

Conferência na UFMG trata dos impactos da biotecnologia na vida humana

A UFMG promove amanhã, dia 20 de agosto, a conferência Nas fronteiras do humano: a imaginação da técnica, com os professores da Universidade de Oxford, Julian Savulescu e Roger Crisp. Os dois pesquisadores irão debater os impactos das inovações da biotecnologia na vida humana. O evento é a primeira atividade deste semestre do ciclo Sentimentos do Mundo – criado em 2007, como parte das comemorações dos 80 anos da UFMG, com o objetivo de divulgar o conhecimento e promover a interação entre as diversas áreas do conhecimento. A palestra acontece no auditório da Reitoria, campus Pampulha, às 11h.

A presença dos especialistas na UFMG decorre de convênio conduzido pelo Núcleo de Estudos do Pensamento Contemporâneo, da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich), com a Universidade de Oxford, para incrementar o intercâmbio de pesquisadores entre as duas instituições. O debate vai ser mediado pelos professores da UFMG Ivan Domingues, do Departamento de Filosofia e Sérgio Pena, do Departamento de Bioquímica.

Savulescu e Crisp possuem uma posição de destaque na Inglaterra, na avaliação das consequências éticas de pesquisas hoje consideradas de ponta, relativas a clonagem, células-tronco embrionárias e engenharia genética. Atualmente, o Centro Uehiro de Ética Prática da Universidade de Oxford é dirigido por Savulescu – intelectual com formação em medicina e filosofia, que tem adotado posições laicas e liberais na área, o que vem lhe rendendo polêmicas na imprensa europeia, especialmente na condução de discussões sobre melhoramento genético e dopping em esporte. Já o filósofo Roger Crisp, que preside o comitê gestor do mesmo órgão, atua no campo conceitual, transitando sobretudo por correntes clássicas da filosofia, como a aristotélica.

Julian Savulescu formou-se em Medicina pela universidade de Monash (Austrália) e obteve seu doutorado sob supervisão do filósofo Peter Singer na mesma instituição em 1994, qualificando-se em bioética e filosofia analítica. Desde então, dentre outras atividades, foi diretor do programa de bioética do Centro de Estudo da Saúde e Sociedade da Universidade de Melbourne e presidiu o Comitê de Ética do Departamento de Serviços Humanos do estado de Victoria, na Austrália. Atualmente, Savulescu dirige o Centro Uehiro de Ética Prática da Universidade de Oxford. Ele também é diretor do Programa em Ética e Biociências da James Martin 21st Century School e chefe da Colaboração Melbourne-Oxford, junto à qual se dedica ao exame das implicações éticas da clonagem e pesquisa com células-tronco embrionárias. Julian Savulescu já publicou mais de 100 artigos em periódicos importantes, tais como Bioethics, British Medical Journal, Journal of Philosophy e The Journal of Medical Ethics, e é coautor do livro Medical ethics and law.

Roger Crisp graduou-se em Estudos Clássicos e Filosofia pela Faculdade St. Anne da Universidade de Oxford, pela qual também recebeu o título de doutor em 1988. Na ocasião, o tema de sua tese foi o utilitarismo. Em seguida, Crisp atuou por dois anos como pesquisador de pós-doutorado em Oxford, quando se dedicou especialmente ao estudo de Aristóteles e John Stuart Mill, e foi então nomeado professor e tutor de Filosofia da mesma faculdade que o formou. Além desse posto, atualmente ele é o presidente do comitê gestor do Centro Uehiro de Ética Prática da Universidade de Oxford e integrante do seu corpo de pesquisadores. Seus principais interesses de pesquisa são ética – incluindo ética das virtudes –, filosofia política e filosofia antiga, acerca dos quais publicou inúmeros artigos em periódicos e livros. Traduziu para o inglês a Ética a Nicômaco, de Aristóteles. Em 2006, Roger Crisp lançou o livro Reasons and the good pela editora Claredon.

Compartilhar