CONSUN aprova a regulamentação das relações da UFPel com as fundações de apoio

CONSUN aprova a regulamentação das relações da UFPel com as fundações de apoio

Após amplo debate ao longo de oito meses dentro do Conselho Universitário, os conselheiros aprovaram, nesta sexta-feira (27), as normas regulamentadoras da relação entre a Universidade Federal de Pelotas e as Fundações de Apoio, assim como da formalização e execução de convênios e contratos e da concessão de bolsas.

Em 2014, uma Comissão foi designada para trabalhar a regulamentação que foi finalizada e apresentada ao CONSUN em dezembro daquele ano. O assunto constava na pauta da reunião para ser discutido e votado, mas a representação dos técnico-administrativos solicitou que o texto não fosse votado, por não ter havido tempo para a análise da categoria. Os conselheiros acataram o pedido e decidiram somente debater a proposta.

No debate, ficou definido que os membros do CONSUN poderiam enviar sugestões à Comissão até março. As ideias foram remetidas à Comissão para incorporação como alternativas de texto e foram votados durante a reunião desta sexta-feira (27). Após a votação dos pontos sugeridos pelos conselheiros, foi aprovada a nova regulamentação que passa a vigorar imediatamente. Acesse a Resolução no arquivo Resolucao_02-2015_CONSUN.

A Resolução tem por objetivo dar tranquilidade para quem fornece e para quem recebe a bolsa estipulando, por exemplo, os valores entre outros controles, como a seleção pública de bolsistas.
Aprovações
Durante a reunião, os conselheiros também aprovaram o Regimento do Centro de Artes, o projeto Pedagógico da residência Médica, a criação do curso de Cinema de Animação e o Plano de Cultura da UFPel para o Edital Mais Cultura nas Universidades.

Trotes

O trote tem sido assunto de mobilização entre a comunidade acadêmica da UFPel. A administração superior tem trabalhado a questão através de campanhas publicitárias e memorando encaminhado aos diretores e professores das Unidades Acadêmicas no sentido de coibir trotes violentos e vexatórios, bem como estimulado a recepção dos calouros de forma solidária e inclusiva, especialmente através de calouradas.

O assunto foi pauta da reunião do CONSUN. Após debate sobre o que está ocorrendo na Universidade e tem chegado às ruas da cidade, os conselheiros mantiveram a compreensão de que o trote está proibido na universidade e que as punições para esse tipo de prática já estão descritas no Capítulo II do Regimento da UFPel, que prevê desde advertência até exclusão dos discentes que praticarem atos violentos, ofensivos ou agressões a estudantes.

Por sugestão dos conselheiros, a reitoria da UFPel entrará em contato com a administração superior da UCPel a fim de propor a criação de campanhas articuladas e unificadas que inibam o trote violento e vexatório e estimulem o chamado trote solidário.

Ascom UFPel

Compartilhar