Copese vai a escolas tirar dúvidas sobre vestibular e Pism

Copese vai a escolas tirar dúvidas sobre vestibular e Pism

Cerca de 400 alunos das segundas e terceiras séries do ensino médio da Escola Estadual Sebastião Patrus de Souza, bairro Santa Terezinha, assistiram na manhã da última terça feira, dia 3, palestra ministrada pelo diretor da Comissão Permanente de Seleção (Copese), professor José Maria Guerra. No evento, os estudantes puderam ver um pouco da realidade da vida acadêmica, além de receberem informações sobre a as etapas e os novos critérios de seleção que serão usados pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

José Maria destacou também todas as transformações que a universidade vem sofrendo para poder oferecer um ensino de excelência. Relembrou os tempos em que deu aulas na Escola Sebastião Patrus e, principalmente, falou das oportunidades reais que os alunos de escolas públicas têm de entrar na universidade. “Nosso objetivo é que cada aluno veja que existe um lugar para ele dentro da UFJF, desde que haja empenho e motivação de sua parte.”

Além disso, os presentes à palestra conferiram as políticas que a universidade possui para que os alunos de baixa renda ingressem e se mantenham na universidade. Fausto Fernandes, funcionário da Copese, também participou da palestra, falando sobre os programas de isenção para o Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) e para o vestibular e das bolsas oferecidas pelo Apoio Estudantil, programa no qual participou quando era aluno da universidade. Ao final da palestra os estudantes fizeram perguntas e esclareceram suas dúvidas.

Alunos em expectativa
Este não é primeiro ano que a UFJF ministra palestras no colégio. A supervisora pedagógica da escola, Maria Célia Barbosa, ressalta que desde que representantes da Universidade passaram a visitar a escola, o interesse dos alunos em participar dos programas de ingresso aumentou, assim como a taxa de aprovação. “Essa parceria é muito importante para nós. A proximidade da Universidade com a escola além de esclarecer as nossas dúvidas ajuda os alunos a desenvolverem competências e tomarem decisões mais acertadas sobre seu futuro.”

Para Laira Silva Moura, aluna do terceiro ano, a aprovação é possível se houver muito estudo. “É como foi dito na palestra, não adianta só estudar na escola tem que estudar muito em casa e manter sempre o foco”, afirma a estudante que pretende ingressar n o curso de Comunicação Social, por meio do vestibular.

A estudante Ana Lívia Almeida, diz que se sentiu mais animada após saber na palestra que o Pism é a forma de ingresso que mais aprova alunos de escolas públicas. “Apesar de precisar de uma quantidade razoável de pontos, agora eu sei que se me esforçar bastante no Pism III posso ter chances de passar”. Ana Lívia deseja cursar Engenharia Civil.

Na opinião dos professores, a palestra serve para reforçar uma idéia que já é trabalhada dentro de sala de aula: a capacidade que os alunos têm de concorrerem a uma vaga na universidade. “Tentamos mostrar que a aprovação é possível através de nossos exemplos.”

Compartilhar