Diretoria executiva se apresenta a ministros e leva pautas prioritárias da gestão 2009-2010

Diretoria executiva se apresenta a ministros e leva pautas prioritárias da gestão 2009-2010

A diretoria Executiva da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) visitou o ministro da Educação Fernando Haddad e o ministro da Ciência e Tecnologia Sérgio Rezende na tarde desta terça-feira (16). No Ministério da Educação (MEC) estiveram presentes o presidente da Andifes Alan Barbiero (UFT), a 1ª vice-presidente Ana Dayse Dórea (Ufal), o 2º vice-presidente Flavio Antônio dos Santos (Cefet-MG) e o suplente Álvaro Prata (UFSC) juntamente com o ex-presidente da Andifes Amaro Lins (UFPE) e o reitor Ivonildo Rêgo (UFRN). No Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) o secretário executivo da Andifes Gustavo Balduino se juntou ao grupo que levou as pautas prioritárias da gestão 2009-2010 aos Ministérios.

No Ministério da Educação (MEC) o presidente Alan Barbiero (UFT) afirmou sua compreensão de que a Educação Superior passa por um momento histórico, que impõe uma grande responsabilidade e o sentimento de urgência da diretoria. “Este é um momento de consolidar os avanços já conseguidos. Precisamos dar um passo para que eles se tornem políticas de Estado e não façam apenas a história desse governo”, afirmou o reitor Alan Barbiero.

Sobre o plano de trabalho que será submetido ao Pleno da Andifes nesta quarta-feira (17), o reitor Alan Barbiero adiantou que há uma agenda de curto prazo a ser resolvida, que envolve a autonomia universitária e o financiamento das universidades federais. “Vamos intensificar o trabalho nesta pauta até julho, devido ao prazo dado pelo presidente Lula, discutindo questões como a dedicação exclusiva e as fundações de apoio à pesquisa”, explicou o reitor.

Para depois deste prazo, o presidente da Andifes enfatizou a temática dos Hospitais Universitários (HUs). Ele lembrou que no último dia 28 de maio o presidente da República assinou decreto que institui o pagamento do Adicional de Plantão Hospitalar (APH), mas que ainda depende de uma portaria. O reitor Alan Barbiero também falou da necessidade de cerca de 6 mil contratações temporárias da União para os HUs e da questão das Ifes que trabalham com hospitais conveniados.

De acordo com a pauta da diretoria, outra questão prioritária é o Programa de Apoio à Pós-Graduação das Ifes, o PAPG-Ifes. Acerca desta demanda, a preocupação do presidente da Andifes é garantir uma janela no orçamento da União de 2010, que deve ser fechado até agosto. Conforme o reitor Ivonildo Rego (UFRN), um dos responsáveis pela concepção do PAPG, a parte mais cara do programa já foi feita, que é a contratação de pessoal, viabilizada pelo Reuni, e não implantar o PAPG seria não aproveitar bem este pessoal. Os reitores aguardam a nomeação de uma comissão para coordenar esta implantação.

O presidente da Andifes também colocou outras questões, como a relação do Ensino Superior com a Educação Básica, principalmente por meio do Plano Nacional de Formação de Professores, a política de pessoal para as Ifes, o fortalecimento da internacionalização das universidades e o acompanhamento de iniciativas como o Reuni e o novo Enem. O ministro Fernando Haddad se mostrou aberto à consolidação dos avanços na pauta da Andifes.

Ministério da Ciência e Tecnologia
No ministério da Ciência e Tecnologia, a diretoria executiva foi recebida pelo ministro Sergio Rezende, pelo secretário executivo Luiz Elias e pelo assessor especial Ronaldo Mota.

Depois de apresentada a nova diretoria, o presidente Alan Barbiero afirmou que a Andifes tem uma pauta bastante extensa e complexa e falou da intenção de estabelecer uma agenda comum com o MCT. O reitor Alan Barbiero enfatizou o projeto do PAPG-Ifes e o secretário executivo do MCT Luiz Elias assegurou que a comissão deve ser nomeada na próxima semana.

Outra questão tratada com o MCT diz respeito às fundações de apoio à pesquisa, um dos elementos da autonomia universitária que ganhou relevo principalmente depois do Acórdão 2731, do Tribunal de Contas da União (TCU). O MCT demonstrou estar de acordo com a importância das fundações e se comprometeu a discutir o tema com o Andifes.

O ministro Sergio Rezende destacou o importante papel da Andifes e afirmou: “Temos um desafio, que é fazer com que a ciência gere riqueza. Quero que esta seja uma das bandeiras desta gestão da Andifes. Vamos trabalhar em conjunto”.

 

Compartilhar