Editora da UFPel lança “Carne Viva” de André Macedo

Cartaz de divulgação do lançamentoNesta quinta-feira (13), das 16h às 18h, será lançada, no estande da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) na Fenadoce a novela gráfica “Carne Viva”, de autoria do professor do curso de Cinema da UFPel, André Macedo.

As histórias do livro, ambientadas na cidade de Pelotas, têm como ponto comum as arquibancadas do estádio Bento Freitas, sede do Grêmio Esportivo Brasil. Apesar do vínculo com um clube esportivo, o livro não fala sobre futebol. Toda a narrativa se volta para a natureza humana e para os múltiplos perfis que povoam e se coletivizam no estádio.

A obra conta histórias de uma sociedade em ebulição, de uma coletividade marcada pelo fascismo, pelos movimentos de resistência, pelo multiculturalismo e pela necessidade de sobrevivência. O grande protagonista dessas histórias é Duda, um “negrinho da estação” nascido no bairro Simões Lopes que precisa sobreviver, em que pesem todas as dificuldades impostas por uma sociedade preconceituosa e autocrata. No total, são mais de 2 mil desenhos distribuídos em 362 páginas, no formato 17x24cm.

O livro foi publicado ainda em 2018 pela Editora UFPel e teve um pré-lançamento em janeiro de 2019. Na próxima quinta-feira ele será lançado oficialmente com a presença do autor, que estará autografando os exemplares. Após o lançamento, o livro continuará sendo comercializado da Livraria da UFPel, situada na Rua Benjamin Constant, 1.071.

Sobre o autor

André Macedo é professor do curso de Cinema e Audiovisual e Cinema de Animação ministrando disciplinas como Direção para Animação e Stop-Motion. Atualmente está trabalhando no projeto “Irene na casa de Blau” que visa produzir um filme/piloto de 20 minutos para contar a história de Irene, uma menina urbana e tecnológica que conhece por acaso o Blau, um velho contador de histórias já eternizado na obra de João Simões Lopes Neto.

Além de docente na UFPel, André Macedo é um cartunista já bem conhecido dos pelotenses. Seus personagens Libório e Betinho por muito tempo habitaram as páginas do jornal Diário Popular e ganharam a simpatia do público integrando o universo cultural de Pelotas. As séries de tirinhas renderam ao autor a publicação de coletâneas dos seus personagens como as “Curtas e Grossas do Libório” e também a oportunidade de ilustrar o livro “História de Pelotas em Quadrinhos” com texto do professor Mario Osorio Magalhães.

Compartilhe: