Em eleições da USP, 80% dos votantes são professores

Em eleições da USP, 80% dos votantes são professores

A lista tríplice que será enviada ao governador Geraldo Alckmin nos próximos dias também tem Hélio Nogueira da Cruz (ex-vice-reitor) e Wanderley Messias (ex-superintendente de relações institucionais), respectivamente em segundo e terceiro lugar.

Está nas mãos de Alckmin escolher quem vai assumir o 26º posto de reitor da universidade mais importante do país.

E a participação dos docentes na decisão poderia ter sido maior: ao todo, 86% da Assembleia Eleitoral da USP, ou seja, de quem pode votar, são docentes.

O “restante” é composto por alunos e funcionários.

A questão é que esses mesmos docentes representam cerca de 5% das 100 mil pessoas da comunidade acadêmica da USP.

Isso incomoda o movimento estudantil da universidade, que tem reivindicado há algum tempo eleições diretas para reitoria. A escolha do reitor seria feita diretamente por alunos, funcionários e docentes.

Todos os votos teriam o mesmo peso e a decisão não passaria pelo governador.

Quem é contra eleições diretas diz que isso seria ilegal. A LDB (Lei de Diretrizes e Bases) define que 60% dos votos, pelo menos, devem se referir aos docentes.

Diz também que o processo seria anti-democrático. A passagem da lista tríplice pelo governador é uma forma de garantir a participação da sociedade no processo –que é quem, afinal, paga as contas da USP.

LÁ FORA

Em boa parte das universidades americanas e britânicas, mesmo as públicas, a eleição também acontece por meio de colégios eleitorais que são compostos de diferentes maneiras (leia mais sobre isso aqui).

Em alguns delas, ex-alunos e membros do setor privado integram esses colégios e fazem parte da decisão.

Em processos decisivos como esses, o reitor pode ser um docente da instituição ou mesmo alguém do setor privado, de fora da universidade, especializado em gestão.

É isso que acontece, por exemplo, em escolas brasileiras de ensino superior como a FGV.

Mas não há nem sinal de que uma universidade pública brasileira possa, um dia, ter um reitor que não seja um professor titular da mesma universidade.

E você? Acha que o reitor das universidades públicas deve necessariamente ser um docente?

Como pensa que deveria ser a eleição?

 

 

 

Sabine – Folha de São Paulo

Top Modifications to Deadly Weapons
free games online westboro baptist ceremony appreciate it the almighty over 9

How to Ensure That Your Ed Hardy Is Genuine
free online games San Diego Fashion Design Colleges

and Websites for Young Women
cheap bridesmaid dresses Part of your layered winter look

s Kelly Bags are a Top Buy
cheapest flights what Kumiko really wants to be is a teacher

Music Rock Bands Rock Bands t
forever 21 an unlikely outcome

Where To Go For Fun In Milan
free online games but it includes a lot of them

12 IPOs Set to Debut This Week
jeux fr For instance consider leggings

5 True Stories That Shatter Your Image of Famous Rock Icons
cool math games lingerie types to obtain 30 somethings

Compartilhar