Emenda vai garantir R$ 9,7 milhões a projetos da rede do pescado elaborados pela UFGD

Emenda vai garantir R$ 9,7 milhões a projetos da rede do pescado elaborados pela UFGD

Estão garantidos, através de emenda parlamentar, R$ 9,7 milhões para quatro projetos estruturantes da rede do pescado, elaborados por pesquisadores da UFGD, que vão permitir que o peixe seja transformado em um bom negócio na região da Grande Dourados. Na quinta-feira (28), em uma reunião com o reitor da UFGD, professor Damião Duque de Farias, pesquisadores da universidade, representantes da Embrapa Agropecuária Oeste, Ministério da Pesca e Aquicultura, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Agraer, Prefeitura de Dourados, MS Peixe, organizadores da cadeia produtiva do pescado e articuladores do Território Cidadania, o deputado federal Vander Loubet (PT/MS) garantiu os recursos que deverão ser empenhados já no início de 2011.

A aplicação das verbas será na construção de três importantes estruturas na UFGD: o Centro de Piscicultura Experimental e Difusão de Tecnologia; o Centro de Tecnologia do Pescado e na Incubadora de Tecnologia de Cooperativas Populares; e uma na Embrapa: no Fortalecimento das atividades em piscicultura da Embrapa Agropecuária Oeste. O deputado Vander Loubet reafirmou o compromisso assumido pelo Ministro da Pesca e Aqüicultura, Altemir Gregolin, com a UFGD e a rede de pescado no início deste ano, de atender a cadeia produtiva do pescado pelo enorme potencial da região e pelos avanços com qualidade que se podem ter nos estudos e nas pesquisas desenvolvidas. “Esse projeto está estruturado e, a nossa ideia, é investir em educação, ciência e tecnologia, principalmente no que diz respeito à logística de projetos. A região tem potencial e o primeiro passo estamos dando, que o é de garantir recursos para a execução do projeto. E é fundamental a sociedade perceber a contribuição da UFGD até na melhoria de renda dessa população”, enfatizou o parlamentar.

Durante a reunião, o professor Damião destacou que a garantia dos recursos é um passo importante dado na consolidação desse projeto. “De fato, essa será uma década importante para a educação, a ciência e a tecnologia. Estamos nos preparando para isso e trabalhando em projetos e expansão de cursos articulados com projetos. Essa estrutura estará à disposição já em 2012 e, esperamos, apresentar os resultados à sociedade contribuindo com o desenvolvimento”.

Um dos pesquisadores da UFGD e que esteve presente na elaboração do projeto, professor Cristiano Márcio Alves de Souza, apresentou as três estruturas aos participantes da reunião e enfatizou que levar a Universidade até à sociedade e vice-versa é compromisso da UFGD. “Temos a visão de estender a universidade, enxergando os problemas das comunidades e contribuindo com a melhoria de vida das pessoas”.

O PROJETO DA UFGD
Com o desenvolvimento dos projetos, a UFGD pretende:
– consolidar o desenvolvimento sustentável da pesca e da aqüicultura no MS;
– integrar os pescadores de pequena escala de MS à cadeia produtiva do pescado;
– fortalecer a indústria pesqueira e a agregação de valor ao pescado de MS;
– desenvolver o Território da Pesca e Aqüicultura da Grande Dourados, de maneira articulada ao Território da Cidadania;
– desenvolver os Territórios da Pesca e Aquicultura que forem apoiados pela MPA em MS;
– promover a incubação de empreendimentos de economia solidária do segmento da aqüicultura familiar e da pesca profissional artesanal;
– desenvolver estudos sócio-econômicos e ambientais necessários ao desenvolvimento sustentável da pesca e aquicultura;
– e apoiar processos de formação profissional e capacitação nas áreas fins ao objeto deste acordo.

Diversos professores da UFGD têm direcionando projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão para a piscicultura. Exemplo disso foi a aprovação pelo Ministério da Educação (MEC), em junho de 2010, por meio do Edital nº5 PROEXT 2010 MEC/SESu, dos seguintes trabalhos para extensão universitária com ênfase na inclusão social: “Capacitação e introdução tecnológica na cadeia da piscicultura na região de Dourados e Mundo Novo-MS” e “Processamento e boas práticas de fabricação de produtos aplicados ao desenvolvimento sustentável do setor aquícola da Região Sul do Mato Grosso do Sul”.

Além de ações mais específicas dos cursos das Faculdades de Engenharia (FAEN), Ciências Agrárias (FCA) e Ciências Biológicas e Ambientais (FCBA).

Compartilhar