Exame de revalidação do diploma médico ficará mais difícil

Exame de revalidação do diploma médico ficará mais difícil

Alunos de faculdades brasileiras de medicina serão parâmetro para realizar mudanças na prova aplicada a estrangeiros, segundo ministro da Saúde

O exame para validação de diploma de médico obtido no exterior, o Revalida, deverá ser alterado. Uma das estratégias será calibrar a dificuldade das questões da prova de acordo com o desempenho de estudantes brasileiros, afirmou nesta quarta-feira o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

A ideia é submeter alunos de faculdades brasileiras de Medicina, como parâmetro, a uma prova formada por questões do banco do Revalida. A medida será aplicada ainda neste ano. “O padrão de cobrança dos médicos estrangeiros deve ser similar à formação dos brasileiros”, disse Padilha.

Durante audiência na Câmara dos Deputados, ontem, Padilha observou que o número de validações de diplomas estrangeiros caiu de forma expressiva desde que o Revalida passou a ser adotado no País, em 2011. Em 2010, 402 médicos formados no exterior receberam permissão para atuar no País. Em 2011, com a implementação do Revalida, foram 238 e no ano passado, 121. “O exame será aprimorado”, disse.

Padilha afirmou que até 2014 serão abertos 35 mil postos de trabalho médico nas Unidades de Pronto-Atendimento. Pelas contas do ministro, isso significa um aumento da demanda de aproximadamente 70 mil profissionais. Há, além disso, um pedido feito por prefeitos de 13 mil profissionais.

“Não há como falar em números exatos sobre qual a necessidade de médicos no País. É certo que o problema terá de ser enfrentado com várias medidas, não apenas com uma.”

Dispensa

A estratégia para atrair médicos estrangeiros para o Brasil passa também pela dispensa do revalida . Duas propostas deverão ser colocadas em prática: convênios de intercâmbio com países como Portugal e Espanha e chamada internacional. O ministro afirmou que estrangeiros, além de passar por um teste de domínio do português, terão seu currículo e histórico escolar avaliado.

“A autorização especial não será concedida de forma imediata. Haverá uma análise prévia”, disse. De acordo com Padilha, a expectativa é de que sejam recrutados de Cuba médicos especializados em saúde da família.

A ideia foi bem recebida pelo presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto D’Ávila. Ele observou, no entanto, que as medidas não atenderão os objetivos do ministério. “O problema do País é falta de financiamento na saúde. Falta de estrutura”, disse.

D’Avila afirmou que estudantes de Rio Grande do Norte realizaram a prova de Clínica Médica do Revalida, com um índice de aprovação de 70%. Um número que, em sua avaliação, poderia indicar que o teste não apresenta um alto grau de dificuldade. Padilha, porém, diz que nenhuma prova foi aplicada por iniciativa do ministério.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

 

 

Brooks Brothers Father’s Day sale
watch game of thrones online free the sheet didn cover everything that had been changed

The Home of the Birkin Kelly Bags
free games online i can’t be the only person excited about hallow’s eve

It’s hard for me to be fashionable
free online games and copper with floral print were used

Manufacturing Designer Jewellery Collections Explained
cheapest flights The first dress we

How to Be a Hipster
forever 21 and so it is easier to justify spending

looking Eyes Through Impermanent Lashes
games footjoy closeout lopro choice can certainly actively playing golf athletic shoes

handle Calf Buck Leather Shopping Tote
ballkleider if the man didn’t have shells exploding around him

A Guide to Buying the Perfect Tuxedo
games held at the Hammerstein Ballroom

Compartilhar