Exposição fotográfica no Museu Amazônico

Exposição fotográfica no Museu Amazônico

O Museu Amazônico fica localizado na Rua Ramos Ferreira, 1036, Centro – Manaus (AM). Para mais informações: (92) 3305-5200, www.museuamazonico.ufam.edu.br e twitter.com/museuamazonico.

A Exposição “Pequeno Flanêur: cruzando narrativas e informações sobre o museu e a cidade” reúne fotografias de espaços públicos do centro histórico da cidade de Manaus e do próprio Museu Amazônico, a partir da visão de quatro crianças – alunos bolsistas de iniciação científica do PIBIC Jr. da Universidade Federal do Amazonas.

Durante o período de um ano – agosto de 2009 à julho de 2010 – os alunos desenvolveram atividades de pesquisa no espaço do Museu Amazônico, procurando aperfeiçoar conhecimentos e apurar percepções sobre o que existe da cidade dentro museu, e o que do museu está na cidade.

Praças, ruas, monumentos artísticos e prédios históricos fazem parte das fotografias da exposição, e ao serem olhadas com atenção apresentam detalhes e peculiaridades da nossa cidade que muitas passam “invisíveis” aos olhares comuns durante a movimentação do dia a dia. O espaço do Museu Amazônico também é retratado em um conjunto de fotografias que focaliza seu espaço físico e as salas de exposição. A exposição estréia nesta 6ª feira, 16 de julho, e fica em cartaz até 13 de agosto de 2010.

Ao mesmo tempo fica em cartaz a Exposição “Arte Ticuna”, que foi prolongada, e fica aberta ao público também até o dia 13 de agosto. Os horários de exposição são das 08h às 12h, pela manhã, e das 14h às 17, pela tarde, e o endereço é Rua Ramos Ferreira, 1036, Centro – Manaus (AM).

Orientador: Prof. Dr. Sérgio Ivan Gil Braga
Co-orientadores: Rodrigo Pollari e Rodrigo Fadul

Os bolsistas
Amanda Carolina Pereira Rocha, 13 anos, 7º ano
Matheus de Souza Silva, 13 anos, 7º ano
Linda Karolyne Tenório dos Santos, 13 anos, 7º ano
Shimon Marques Pedrosa, 13 anos, 7º ano

PIBIC Jr.
A proposta deste Pibic Jr., intitulado “Pequeno Flanêur: cruzando narrativas e informações sobre o museu e a cidade”, foi fazer com que os bolsistas conseguissem enxergar, com seu próprio olhar observador, o que é da cidade de Manaus e está dentro do Museu, e o que pertence ao  Museu e está pela cidade.

O desafio residiu no fato de se tratar de uma iniciação científica no qual esse olhar, ainda que próprio de criança, deveria ser treinado através de um contato inicial desses jovens com temas e conceitos de ciências como antropologia e arqueologia – ações de um museu e de seu acervo etnográfico, arqueológico e documental, que fazem da cidade um objeto privilegiado.

Apesar de ser um projeto único para todos, a idéia foi que cada um dos quatro, na sua individualidade, desenvolvesse seus próprios modos de compatibilizar e divulgar esse conhecimento adquirido, fazendo relações desse projeto com o que eles vivenciavam na escola, em forma de um discurso.

Por fim, esse discurso foi transformado em instrumento de divulgação científica dentro do Museu Amazônico e transposto numa exposição fotográfica.

Compartilhar