Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG tem debate com ministro Patrus Ananias

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG tem debate com ministro Patrus Ananias

O Diretório Acadêmico (DA) da Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (Fafich) promove a partir da sexta-feira, 28 de agosto, ciclo de atividades para celebrar os 30 anos de luta pela Anistia e pela construção da democracia no Brasil. A partir das 19h, no auditório Sônia Viegas, da unidade, o ministro Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, fará a intervenção principal da mesa de debates sobre Os novos caminhos da democracia no Brasil. Ele terá a companhia do professor Juarez Guimarães, do Departamento de Ciência Política da UFMG, do vice-presidente da UNE, Tiago Ventura, e de representante da direção nacional do Movimento Nacional dos Sem-Terra.

Mais cedo, às 11h, uma audiência pública com a Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais terá como tema A Fafich e a resistência à ditadura militar. O evento vai comemorar os 70 anos da Fafich, além das três décadas de luta pela anistia.

A mesa será composta pelo presidente da Comissão de Participação Popular, deputado André Quintão, o reitor da UFMG, Ronaldo Tadeu Pena, o diretor da Fafich, João Pinto Furtado, o presidente da Fundação Perseu Abramo e ex-ministro dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, o presidente do DA da Fafich, Estevão Cruz, o diretor de Políticas Educacionais da UNE, Wallison Brandão, além de representante do Projeto República, da UFMG.

Segundo a direção do DA da Fafich, "o momento é oportuno, pois a história da Fafich se cruza com a da resistência à ditadura militar". Além disso, a faculdade será responsável pela curadoria do Memorial da Anistia, que vai tornar disponíveis, para consulta pública, entre diversos materiais, os mais de 64 mil processos recebidos pela Comissão de Anistia, alguns com documentos inéditos. Além do objetivo de preservar e difundir a memória política do país, resgatando a importância da luta pela democracia, o Memorial será um centro nacional de pesquisas sobre o tema.

A programação do ciclo prevê ainda sessão comentada de filmes sobre a anistia e a resistência à ditadura militar, oficinas com grupos de pesquisa e de intervenção cultural, outros debates sobre o movimento estudantil e a universidade e eventos culturais.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (31) 8860-2781, com Estevão Cruz, presidente do DA.

Compartilhar