Faculdades particulares poderão ir à Justiça contra mudanças no Fies

Faculdades particulares poderão ir à Justiça contra mudanças no Fies

Novas regras para financiamento exigem, por exemplo, nota mínima de 450 pontos no Enem e não ter zerado a redação

 

 

RIO – A Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) retirou da Justiça ação contra as alterações feitas nas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) em dezembro do ano passado. A entidade diz que não desistiu da judicialização, apenas mudará de estratégia. Vai dividir a ação em três e buscará o apoio de outras entidades.

“Ao dividir, vamos nos aprofundar nos temas de acordo com a discussão jurídica. Agora teremos três frentes e mais entidades assinando junto”, diz a presidenta da Fenep, Amábile Pacios.

As mudanças que foram feitas pelo Ministério da Educação (MEC) por meio de portaria no final do ano passado. Agora é exigida a nota mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter zerado a redação para obter o financiamento – antes era preciso apenas ter feito o exame.

A portaria proíbe que o aluno acumule bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni) e o financiamento em cursos diferentes. A complementação das bolsas parciais no mesmo curso e na mesma instituição continua sendo permitida.

Outra mudança estabelece a emissão de títulos do Tesouro, por meio dos quais as mantenedoras recebem o crédito do Fies. A emissão será feita em oito vezes no ano para as mantenedoras com número igual ou superior a 20 mil matrículas do Fies. Antes a emissão era feita mensalmente.

Uma das ações questionará a constitucionalidade da alteração de uma lei por meio de portaria. Outra será em relação à recompra restrita a oito vezes por ano. A terceira, questionará a nota mínima. A Fenep estima uma redução de 20% no número de jovens beneficiados com as políticas educacionais no setor privado.

O Ministério da Educação diz que as mudanças foram feitas em prol da qualidade do ensino superior e que o diálogo com as entidades é permanente. O ministro Cid Gomes chegou a defender o endurecimento das medidas. “Acho é pouco essa exigência de patamar de 450 [pontos no Enem para acessar o Fies] e vou defender mais rigor. Em vez de rigor no aluno, posso exigir rigor no curso. Só vou aceitar financiar matrícula nos cursos bons, que tenham conceito excelente”, disse Gomes.

Segundo o assessor do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular, formado por cinco entidades voltadas para a educação superior particular, Sólon Caldas, a entidade continua dialogando com o MEC. “O setor privado é parceiro do MEC. Estamos dialogando para encontrar um denominador comum que atenda aos envolvidos e, principalmente, ao aluno”, diz Caldas. E acrescenta: a posição da entidade, até o momento, é pela não judicialização.

 

Agência Brasil

 

The human body is like a walking temple
free games online The Metropol store will have a total area of 185

Is A Woman Allowed To Wear A Brazilian Micro Bikini In Public
cheap bridesmaid dresses There are also tricks for you

Ambrose OlsonTragic Death Saddens Many
cheap flights and assist with trim approvals throughout all stages of the design

Communications Majors Enjoy One Of The Highest Number Of Job Opportunities
free online games as if

Kanye West disses New York sidewalk fashion via Twitter
jeux fr especially with the presence of founders

Can an MBA from SCIT really help
games be prepared for your

Young People Remake Men s Suits
kleider process outfit guideline

Scholarships for Careers in the Fashion Industry
ballkleider The theory is the less you rely on shampoo

Compartilhar