Faltam quase 4 mil professores no estado

Faltam quase 4 mil professores no estado

Secretaria de Educação publica resolução para contratação temporária de docentes

Apesar de ter tomado uma série de iniciativas para reduzir a carência de docentes, como a convocação de candidatos aprovados em concursos e o retorno de profissionais cedidos a outros órgãos, a Secretaria estadual de Educação ainda enfrenta dificuldades para acabar com o velho problema da falta de professores. Segundo o órgão, ainda há 3.741 vagas a serem preenchidas nas salas de aula. Os principais problemas estão nas disciplinas de filosofia, sociologia, geografia e química. Ontem, o secretário Wilson Risolia publicou uma resolução no Diário Oficial abrindo a possibilidade de contratação temporária de 4.378 docentes.

Filosofia é a disciplina com maior carência
Nas quatro disciplinas mais críticas, a situação é complicada porque não há mais concursados disponíveis para o preenchimento das vagas. O estado deve então usar contratos temporários nesses casos. O déficit em filosofia é de 414 professores; em sociologia, de 352; em geografia, 268; e em química, 142. Os números também preocupam em matemática (faltam 205 docentes) e física (216). No entanto, a Secretaria de Educação está com concurso em andamento que deve suprir as carências.

De acordo com o órgão, já houve uma grande redução do déficit do ano passado para cá. Em fevereiro de 2010, havia 229 mil tempos de aula vagos. Em fevereiro de 2011, 159 mil. Em março, a quantidade caiu para 91 mil. Uma das principais apostas do estado foi o lançamento de um programa de metas, baseado numa nova metodologia de avaliação que dará gratificações aos profissionais que atingirem os objetivos estipulados.

O objetivo da Secretaria de Educação é chegar a 2012 com carência zero na rede. Pelo levantamento do órgão, há 22 municípios mais afetados pelo problema, entre os quais a própria capital, cidades da Baixada Fluminense, como Queimados e Nilópolis, e do interior do estado como Santo Antônio de Pádua e Miracema.

Ontem, além da resolução para a contratação temporária, foi anunciado o enquadramento de 1.203 professores por promoção. Terão direito ao benefício, profissionais com diploma de mestrado, doutorado ou pós-graduação. Ainda foi aberta a possibilidade de docentes – que davam aula somente para os primeiros anos do ensino fundamental – lecionarem para os últimos anos do fundamental e ensino médio, caso tenham feito licenciatura após a sua contratação pelo estado.

Além da Educação, a Secretaria de Ciência e Tecnologia também prepara mudanças para aumentar a quantidade de professores formados no estado. O secretário Alexandre Cardoso disse que a partir de agosto o Centro de Ciências e Educação Superior à Distância (Cederj) deve oferecer bolsas de R$250 mensais no terceiro e no quarto ano de faculdade para os alunos que optarem por licenciatura. Ao saírem da universidade, os formandos terão que se comprometer a passar um período de três anos trabalhando na rede pública de ensino.

Compartilhar