Federais têm 5% dos cursos de especialização 

Federais têm 5% dos cursos de especialização 

Consideradas de maior qualidade, as universidades  federais respondem  por  apenas  5% da oferta de cursos de especialização já cadastrados no MEC.

São 1.896 cursos disponíveis, concentrados principalmente nas áreas de saúde, educação e ciências sociais. Ao todo, as 63 federais oferecem ao menos 183.156 vagas. Seus cursos tiveram, pelos dados preliminares, 159.776 egressos.

Se comparado ao total da amostra, o percentual de cursos a distância é maior nas federais: 19%.

A região com maior número de vagas nas federais é o Sudeste, seguido por Sul e Nordeste. A UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) informou a maior oferta de cursos, com 204 cadastrados até agora. A Unifesp aparece em seguida, com 199.

Ao mesmo tempo em que há um aumento na demanda por estes cursos, representantes de universidades ainda não veem na especialização uma fonte expressiva de recursos.

Não são como cursos de graduação, em que todo ano entra uma nova turma. E, em geral, quando são cursos pagos, os docentes são remunerados, e é para onde vai a maior quantidade de recursos , diz Targino de Araújo Filho, presidente da Andifes (associação de reitores das universidades federais).

Para ele, esses cursos podem repercutir também no ensino da graduação, pois o professor se aproxima das exigências do mercado.

 

Flávia Foreque – Folha de S. Paulo

Compartilhar