Federal do MA investe na criação de cursos à distância

Federal do MA investe na criação de cursos à distância

A UFMA (federal do Maranhão) tem investido na educação à distância. A intenção é formar professores para atuar no interior do Estado.

Segundo Othon Bastos Filho, diretor do núcleo de educação à distância, os cursos foram criados para atender a um pedido do Ministério da Educação, que orienta a formação de professores para atuar nas escolas públicas.

“Aliamos metodologia, tecnologia e a base dos professores dos cursos tradicionais para oferecer uma educação à distância de qualidade para uma população que, muitas vezes, não teve contato com a tecnologia”, afirma.

Cerca de 8.000 alunos estudam em 28 cursos de educação à distância, sendo oito graduações, dez pós e dez de extensão e aperfeiçoamento.

No bacharelado as opções são a graduação em administração e as licenciaturas em ciências biológicas, física, informática, matemática, pedagogia, química e teatro.

O vestibular para os cursos à distância ocorre de forma independente do tradicional -que adota o Enem como meio de ingresso. As provas do processo seletivo e as aulas acontecem nos 22 polos espalhados no Maranhão.

CURSOS TRADICIONAIS

Já nos presenciais, há 80 cursos e mais de 4.600 vagas.
Neste ano, a universidade investe na criação de seis novos cursos de engenharia, nas áreas de civil, clínica, computação, materiais, produção e transporte. Todas devem começar no segundo semestre de 2011.

“Este é o braço que faltava na universidade. Pretendemos abranger todas as áreas de conhecimento”, afirma Aldir Araújo Carvalho Filho, pró-reitor de graduação.

Com verba do Reuni -programa do governo federal de expansão das universidades-, a UFMA criou cinco novos campi no interior do Maranhão nos últimos três anos. Agora, já são oito. A meta é chegar a dez até 2012.

Compartilhar