Gastos de candidatos serão pagos por gráfica

Gastos de candidatos serão pagos por gráfica

Empresa custeará alimentação e transporte dos estudantes que refizerem o Enem

O Ministério da Educação (MEC) afirmou ontem que a gráfica RR Donelley, contratada para imprimir os cadernos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), bancará os gastos extras dos candidatos com a nova prova. Segundo o MEC, isso deve incluir os custos de alimentação e transporte de quem precisar se deslocar até os locais onde serão aplicadas as novas provas de ciências humanas e ciências da natureza. O governo deverá anunciar até quarta-feira a data do exame, que será aplicada somente aos estudantes que foram prejudicados pela confusão nos cadernos de questões amarelo. O exame será reaplicado na primeira quinzena de dezembro – o provável é que seja no dia 4 ou 5. Até lá, o Inep e o consórcio Cespe/Cesgranrio terminarão de analisar 116.626 atas, num pente-fino que vai identificar todos os estudantes prejudicados pelos erros de impressão no caderno de questões amarelo, da prova do último dia 6. Para garantir que o trabalho seja concluído a tempo, as três instituições farão plantão neste fim de semana.

Cada um dos estudantes será notificado do direito de refazer o exame pelos meios habituais – via e-mail, telefone, carta e até por SMS, o popular torpedo. O ministério informou ainda que o calendário do Enem de 2010 segue rigorosamente dentro dos prazos, com a previsão da divulgação dos resultados para a primeira quinzena de janeiro de 2011. O início do processo de seleção unificada para admissão de novos alunos pelos estabelecimentos de ensino superior está confirmado para segunda quinzena de janeiro de 2011. As informações foram divulgadas, em nota, após reunião do ministro da Educação, Fernando Haddad, com o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Joaquim Soares Neto, e representantes do consórcio Cespe/Cesgranrio. Normalmente acessível, o presidente do Inep saiu da reunião tenso e não quis dar entrevista. Há um ano, o vazamento da prova do Enem, noticiado em primeira mão pelo Estado, derrubou o presidente do órgão, Reynaldo Fernandes.

Anulação. Ontem, o procurador da República no Ceará, Oscar Costa Filho, autor da ação que pede a anulação do Enem, ouviu cerca de 50 estudantes em audiência pública, em Fortaleza. Ele ameaça ir até o Supremo Tribunal Federal (STF) para anular o Enem. “Do jeito que eles estão querendo fazer, essa prova deve ser anulada.” Hoje, estudantes cearenses devem se reunir às 13 horas na reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC) para decidir sobre o que fazer para anular o exame. A Defensoria Pública Federal no Ceará colocou advogados à disposição dos estudantes para ações individuais.

Compartilhar