Grupo da UFU busca inclusão de pessoas autistas na escola

Grupo da UFU busca inclusão de pessoas autistas na escola

Com o objetivo de informar a população sobre um transtorno que afeta cerca de 70 milhões de indivíduos no mundo, o Dia Mundial de Conscientização do Autismo é comemorado em 2 de abril. Durante o ano todo, na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), existem pessoas que trabalham para essa conscientização. Criado em 2013, o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Transtorno do Espectro Autista do Centro de Ensino, Pesquisa, Extensão do Atendimento em Educação Especial (Geptea/Cepae/UFU) busca implementar ações para facilitar a inclusão educacional.

A coordenadora do grupo, Fabíola Soares, explica que o objetivo é utilizar estudos e teorias da área para colaborar na formação de alunos com Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) e Transtornos do Espectro do Autismo (TEA). “O Gepta hoje é uma referência na inclusão destas pessoas em Uberlândia. Nós contribuímos muito para dar as orientações de práticas pedagógicas inclusivas e de como tratar este estudante na escola”, afirma.

Participam profissionais das áreas da saúde e da educação, além de pais e cuidadores, que discutem experiências sobre didática e materiais veiculados, como reportagens e pesquisas. Além disso, o grupo já realizou eventos, como o I Colóquio sobre Transtorno do Espectro Autista, que ocorreu ano passado.

Segundo a educadora e participante Cecília Rezende, o grupo, que antes só realizava rodas de conversa em escolas após ser solicitado, agora deve desenvolver um trabalho mais efetivo. “O Geptea poderá ser útil para muitas famílias e muitos profissionais. Pretendemos, também, produzir trabalhos científicos”, afirma.

O Geptea se reúne quinzenalmente. Para conhecer sua agenda, entre em contato com o Cepae por meio do telefone (34) 3239-4577 ou do email cepae.ufu@gmail.com.

Compartilhar