Haddad dá a largada em agenda de “prefeitável”

Haddad dá a largada em agenda de “prefeitável”

Ministro avisa Dilma oficialmente que vai pleitear candidatura em 2012

Após férias em Havana, titular da Educação vai usar os finais de semana para minar a resistência da militância do partido

O ministro Fernando Haddad (Educação) irá iniciar em agosto sua agenda de pré-candidato à Prefeitura de São Paulo. Sem se afastar do ministério, Haddad decidiu concentrar atividades nos finais de semana na capital.
Na semana passada, o ministro comunicou oficialmente a presidente Dilma Rousseff que é pré-candidato. Combinou que tirará esta semana de férias -vai para Havana, em Cuba- e, na volta, começará a participar de eventos em São Paulo.
Sua primeira tarefa será quebrar a resistência de seu partido, o PT, para aceitá-lo como candidato. Para isso, passará a ter encontros com dirigentes partidários. O primeiro deles foi com o presidente estadual do partido, Edinho Silva, na semana passada, em Brasília.
A movimentação foi acertada com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva há duas semanas, quando os dois participaram do congresso da UNE, em Goiânia.
Lula aproveitou o evento para “lançar” a candidatura de Haddad. Elogiou o ministro, que já ocupava a pasta da Educação em seu governo, e explicitou publicamente que espera vê-lo candidato.
Em privado, Lula deu um ultimato a Haddad. Pediu que ele se movimente politicamente na capital para angariar apoios ao seu nome.
Há menos de um mês, Haddad assumiu publicamente que pretende disputar a eleição no próximo ano.
Com a ajuda de um grupo de vereadores, Haddad deve iniciar o périplo em encontros com as zonais do partido. A intenção é obter apoios nas bases da legenda.
Esses encontros estão sendo chamados internamente de “caravanas”. Os primeiros acontecem entre os dias 5 e 7 de agosto, nos bairros de Sapopemba, Tatuapé e São Miguel Paulista, um a cada dia.
Será o primeiro “teste de povo” dos pré-candidatos. Por isso mesmo, dirigentes petistas que conversaram com o ministro recentemente têm dúvida se ele vai querer fazer essa exposição pública antes de costurar nos bastidores sua pré-candidatura e antes de deixar o governo.
Já a ex-prefeita e senadora Marta Suplicy está com a estrutura da pré-campanha montada, inclusive com coordenadores informais -os deputados federais Candido Vaccarezza, líder do governo na Câmara, e João Paulo Cunha, que, apesar de ter sua base eleitoral em Osasco, também articula na capital.
Marta pretende usar os encontros das zonais para mostrar força. Para isso, seus aliados estão procurando líderes das comunidades e representantes de sindicatos e entidades para pedir apoio.

TERRENO SEGURO
Eventos na área de educação, em que receberá apoio de entidades, são o terreno mais seguro para Haddad iniciar a caminhada política. Em agosto, lançará uma escola técnica na zona norte.
Lula, principal cabo eleitoral do ministro, não deve participar das agendas num primeiro momento. Ele deverá atuar nos bastidores, para evitar a realização de prévias.
Segundo petistas ouvidos pela Folha, a musculatura de Haddad até outubro será o termômetro a definir se haverá ou não disputa. Caso Marta e os demais candidatos decidam enfrentar a indicação de Lula, há quem duvide que o titular da Educação se aventure a decidir no voto.
O terceiro na lista do PT para 2012, o ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia), é considerado quase fora do páreo. Dilma não deixaria dois ministros saírem do governo antes de um ano para disputar entre si.
Mercadante -cuja atuação vem sendo elogiada pela presidente- ficaria no governo e buscaria visibilidade para ser candidato ao governo de São Paulo em 2014.

Compartilhar