Instalado comitê de governança que analisa novo modelo de processo seletivo das Ifes

Instalado comitê de governança que analisa novo modelo de processo seletivo das Ifes

O Comitê de Governança responsável por acompanhar o processo de construção do novo modelo de vestibular proposto pelo Ministério da Educação (MEC) foi instalado oficialmente hoje, em reunião com o ministro Fernando Haddad na sede do MEC, em Brasília. O Comitê é formado pelo presidente da Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) reitor Amaro Henrique Pessoa Lins (UFPE), um reitor representante de cada região do país, a presidente do Fórum de pró-reitores de Graduação (Forgrad) e representantes do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

Os reitores Amaro Henrique Pessoa Lins (UFPE), Álvaro Prata (UFSC) Malvina Tuttman (Unirio), Naomar Almeida (UFBA) e a presidente do Fórum de pró-reitores de Graduação (Forgrad) Sandramara Matias Chaves participaram da reunião, que, além do ministro, teve a presença da Secretária de Educação Superior (Sesu) Maria Paula Dallari Bucci e do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) Reynaldo Fernandes.

Os representantes do MEC e das Ifes fizeram uma avaliação do termo de referência enviado pelo Ministério no dia 8 de abril. De acordo com o reitor Amaro Lins, os reitores ressaltaram alguns pontos como a regionalização e a segurança, que devem ser avaliados mais profundamente. Eles ainda sugeriram ao MEC a participação das Comissões de Vestibulares das Ifes no processo de estruturação do novo Enem.

Novas formas de adesão
O Comitê decidiu ainda por duas novas formas de adesão das Ifes ao novo processo de seleção. O termo de referência falava sobre uma adesão ao Enem como fase única ou primeira fase da seleção, e da adesão a um Sistema de Seleção Unificado. Agora, as Ifes também podem utilizar o Enem parcialmente ou, àquelas que não aderirem imediatamente à proposta, podem usar a nota do Enem para seleção de vagas remanescentes. “Em função das discussões já realizadas nas universidades, percebeu-se a importância delas aderirem à proposta de outras formas, devido às características próprias das instituições”, afirmou o presidente da Andifes.

A presidente do Forgrad, Sandramara Matias, ficou responsável por centralizar outras demandas e dúvidas das Ifes e traze-las para a avaliação e discussão do Comitê.  A próxima reunião do grupo ficou marcada para o dia 23 de abril.

Expectativa
O presidente da Andifes, reitor Amaro Lins destacou que há uma expectativa e uma mobilização muito grande na sociedade e nas universidades em torno da proposta de mudança do vestibular. “O importante é que, a partir das discussões, esperamos melhorar o processo, independente do modelo que cada instituição adote”, enfatizou o reitor.

Quanto aos exíguos prazos, o presidente da Andifes esclarece que as universidades que pretendem aderir ao sistema de seleção unificado tem menos tempo. Ainda segundo o reitor Amaro as outras Ifes têm o tempo que acharem necessário para realizar suas discussões. O MEC não determinou prazo para adoção de nenhuma das formas de seleção.

Para subsidiar o debate acerca do tema, a Andifes promoverá, no dia 27 de abril, o Seminário “Acesso à universidade pública, gratuita e de qualidade”, que terá a participação de especialistas, representações estudantis, membros de comissões de vestibulares, secretários de educação e integrantes da comunidade científica, como representantes da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Além desta iniciativa, o presidente da Andifes ressalta a realização de uma reunião técnica, no dia 28 de abril, entre o Inep, os pró-reitores de graduação e as comissões permanentes de vestibulares das Ifes.

Foto: Agência Brasil

Compartilhar