Justiça rejeita denúncia contra alunos da USP que invadiram reitoria

Justiça rejeita denúncia contra alunos da USP que invadiram reitoria

Para magistrado, acusação de formação de quadrilha é ‘prova maior do exagero e sanha punitiva’

SÃO PAULO – A Justiça rejeitou a denúncia contra as 72 pessoas – entre elas, cerca de 50 alunos da Universidade de São Paulo (USP) – por formação de quadrilha, posse de explosivos, dano ao patrimônio público, desobediência e pichação. A denúncia havia sido oferecida pela promotora Eliana Passarelli após a ocupação do prédio da reitoria da universidade em novembro de 2011.

A decisão foi do juiz Antonio Carlos de Campos Machado Junior, da 19º Vara Criminal do Fórum da Barra Funda. O grupo ocupou o prédio por oito dias, em protesto contra a presença da polícia no campus e foi detido depois de a Polícia Militar cumprir reintegração de posse. Eles foram liberados no mesmo dia após pagarem fiança.

O magistrado afirmou que, conforme descrição da Promotoria, o protesto realizado pelos alunos da USP, “longe de representar um legítimo direito de expressão ou contestação, descambou para excessos, constrangimento atos de vandalismo e quebra de legalidade.” Entretanto, argumentou que não poderia receber a denúncia pois os atos não estão devidamente individualizados – ou seja, a promotora não identificou qual foi a pessoa responsável por cada uma das ações consideradas criminosas.

“Rotular a todos, sem distinção, como agentes ou coparticipes que concorreram para eclosão dos lamentáveis eventos, sem que se indique o que, individualmente, fizeram, é temerário, injusto e afronta aos princípios jurídicos que norteiam o direito penal, inclusive o que veda a responsabilização objetiva”, escreveu o magistrado.

“Prova maior do exagero e sanha punitiva”, continuou, “é a imputação do crime de quadrilha, como se os setenta estudantes em questão tivessem-se associado, de maneira estável e permanente, para praticarem crimes, quando à evidência sua reunião foi ocasional, informal e pontual, em um contexto crítico bem definido.” O Ministério Público ainda pode recorrer à segunda instância.

 

Rodrigo Burgarelli – O Estado de S. Paulo

 

Online Indian fashionable designer dresses
watch game of thrones online free magazine’s The Shape of Beauty Awards 2009

How to Get Cheap Prada Sunglasses
free games online Fortunately for the guys

Getting Rid Of Stink Bugs In New Jersey
online games Much like its titular character

9 event uses fashion handbags to benefit shelter
cheap wedding dresses for parties and all most for all type of purposes

Made Materials You Won’t Believe Exist
cheapest flights and are in it for the long haul

What are some current fashion trends
kleider and continue to use black as my ‘goto’ color

The Basic Things you need to Know about Interim Management
ballkleider if you’re able to

Does It Suck Movie Review
cool math games a couple months ago

Compartilhar