Lançamento de mais livros nas editoras universitárias

Lançamento de mais livros nas editoras universitárias

Editora da UFRN e o artista Dorian Gray Caldas lançam livro em homenagem à cidade de Natal

Na oportunidade do aniversário de 411 anos da cidade de Natal, a Editora da UFRN e o artista Dorian Gray Caldas lançam a Carta aberta para a muito amada cidade de Natal. O lançamento acontece no próximo dia 12 de dezembro, às 17h, na Livraria Siciliano do shopping Midway Mall.

Trata-se de uma publicação que contém reproduções de obras do artista e um poema também de sua autoria. Tem características de design inovador, com páginas duplas, possibilitando a visão ampliada das imagens e do poema.

O livro foi inicialmente lançado no Festival Literário de Pipa – Flipipa (novembro/2010) como parte de um projeto junto a ONG Educapipa. Na ocasião, foram produzidos apenas 100 exemplares que receberam capas únicas produzidas por crianças moradoras de Pipa. Agora, o livro recebe nova impressão a fim de atender a um público mais amplo.

Com iniciativas dessa natureza, a Editora da UFRN mostra-se consciente de que, além de articular a publicação de produções acadêmicas, está imbuída também da função de promover a cultura e a produção artística do Rio Grande do Norte.

O autor, Dorian Gray Caldas, nasceu em Natal-RN, em 1930. Esse consagrado artista potiguar é desenhista, escultor, gravador, ceramista, tapeceiro e escritor, atuando como membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras.

Serviço
Lançamento da Carta aberta para a muito amada cidade de Natal
Dia: 12 de dezembro de 2010, às 17h
Local: Livraria Siciliano do shopping Midway Mall
Preço: R$ 20
Fonte: Editora UFRN


Limiares e passagens em Walter Benjamin
Georg Otte, Sabrina Sedlmayer e Elcio Cornelsen (org.)
Área: Filosofia
Coleção: Humanitas
Apoio: Pós-Lit e Capes
2010. 279 p. ISBN: 978-85-7041-871-5
Preço: R$ 45,00

Ler Walter Benjamin como um pensador do limiar, e não da fronteira, é o que propõe este livro. Os ensaios não somente tangenciam a relação entre filosofia, literatura, história, arquitetura, cinema, fotografia e arte – saberes imbricados e indistintos na experiência de reflexão e de escrita de Benjamin –, mas também demonstram que o autor de Passagens é referência incontornável para se pensarem novas cartografias e configurações do conhecimento e da cultura do tempo presente.
Fonte: Editora UFMG


EdUFSCar

Memória Musical de São Carlos é retratada em livro que será lançado nesta quinta-feira

Trata-se de uma contribuição interdisciplinar para a história, sociologia, educação e performance musical, que tem como foco o Conservatório Musical da cidade

Nesta quinta-feira, dia 9 de dezembro, será lançado o livro “Memória Musical: Retratos de um Conservatório“, que registra a história da música em São Carlos desde suas origens até a década de 90. O livro, publicado pela Editora Annablume, é resultado de uma pesquisa de doutorado realizada no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atualmente, a autora Rita de Cássia Fucci Amato é pós-doutoranda da USP e regente do Madrigal InCanto, grupo vocal a cappella.

A maestrina sãocarlense busca mostrar na obra interessantes análises de sociólogos da educação, como Pierre Bourdieu e Norbert Elias, cujos conceitos e reflexões são adotados para iluminar o percurso de pianistas formados por conservatórios musicais. Por meio de depoimentos de músicos da cidade e de uma pesquisa em jornais de mais de cinco décadas, Rita Elias resgatou parte da história da música em São Carlos, inserindo-a no contexto da história da música, do piano e da educação musical no Brasil.

Desde o final do século XIX e o início do século XX, atividades de teatro e música despertaram no jovem município de São Carlos. Concertos populares de bandas nas praças e saraus nas sociedades de imigrantes italianos e espanhóis compunham a vida artística local. A música foi sempre um destaque, já que pelo Município passaram ou se apresentaram grandes nomes, como Villa-Lobos, Eleazar de Carvalho, Magdalena Tagliaferro, dentre outros. Também em São Carlos trabalharam e ensinaram grandes músicos, como João Sepe, autor de um dos mais conhecidos tratados de Harmonia; Antonio Munhoz, pianista de destacada carreira na Europa; e Cacilda Marcondes Costa, pianista fundadora do Conservatório Musical de São Carlos, escola que formou gerações de pianistas, funcionando de 1947 a 1991.

Dentro desse cenário, a pesquisadora optou por ter como foco principal no estudo, que resultou no livro, o Conservatório Musical da cidade, as memórias de seus ex-alunos e ex-professores, os métodos de ensino e as dificuldades da instituição. Reconstruindo a memória do Conservatório, escola que buscava seguir os rígidos padrões do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, o livro analisa também a metodologia de ensino de piano focada em resultados performáticos, praticada sob a inspiração do Conservatório de Paris. Dimensiona-se, assim, uma contribuição interdisciplinar para a história, sociologia, educação e performance musical, delineando-se caminhos teórico-metodológicos para a historiografia de instituições educativo-musicais.
O evento de lançamento é gratuito e tem início às 20 horas, na Oficina Cultural Regional Sérgio Buarque de Holanda, localizada na rua São Paulo, 745. Além da sessão de autógrafos, haverá uma mesa-redonda e um recital de piano com várias pianistas que lecionaram ou estudaram no Conservatório Musical de São Carlos. Já estão confirmadas as presenças de Maria Inez Botta, Diana Cury, Claudete Sacomano, Lilian Cornachioni Estrozi e Leila Patrizzi.

O livro “Memória Musical: Retratos de um Conservatório” já está à venda pelo site www.annablume.com.br e alguns exemplares também poderão ser adquiridos durante o lançamento. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3372-8882.

Livro lançado pela EdUFSCar aborda a diversidade no âmbito escolar

Obra organizada pelo professor Richard Miskosci, do Departamento de Sociologia da Universidade, analisa as questões de etnia, gênero, sexualidade e cultura

A EdUFSCar lança o livro “Marcas da Diferença no Ensino Escolar“, organizado pelo professor do Departamento de Sociologia da UFSCar Richard Miskolci. A obra aborda questões como diversidade cultural e de gênero, sexualidade e orientação sexual e relações étnicorraciais na sala de aula. O livro surgiu, originalmente, como material para o curso Gênero e Diversidade na Escola (GDE), oferecido na modalidade a distância pela UFSCar para mais de mil cursistas no ano de 2009.

Ao longo dos textos, os autores auxiliam na compreensão de questões ainda pouco exploradas na área da Educação, mas que se impõem na prática escolar, exigindo que os envolvidos se aprofundem e questionem o senso comum, encarando os desafios do presente com os olhos voltados para o futuro. Os estudos e observações feitos pelos autores analisam as problemáticas enfrentadas nas escolas e buscam o esclarecimento de dúvidas. A obra também conta com experiências vivenciadas durante o curso, apresentando as propostas de atividades que foram desenvolvidas.

O livro já está disponível para venda na Livraria da EdUFSCar, localizada na área Norte do campus São Carlos e também pela Internet, em www.editora.ufscar.br. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3351-8962.

 

Fonte: Editora EdUFSCar


UFSC: Alunos do Colégio de Aplicação lançam livro “É legal ser diferente”

O resultado do trabalho realizado junto à turma do 3º ano B do Colégio de Aplicação (CA) durante as aulas de português do terceiro trimestre deste ano poderá ser conferido nesta quarta, 08/12. A obra “É legal ser diferente” reúne poemas e ilustrações com a temática diversidade, criados pelos próprios alunos do Ensino Fundamental. O livro será lançado às 16h30, no próprio CA.

O processo de criação incluiu, inicialmente, muita leitura, como atesta a professora que coordenou todo o trabalho, Amanda Leite, no prefácio da obra: “A cada roda de leitura embarcamos numa gostosa viagem. Visitamos todos os animais da Arca de Nóe, de Vinicius de Moraes, ouvimos alguns dos seus poemas musicados, cantamos, imaginamos cenas, objetos diferentes, casas engraçadas… Depois desenhamos borboletas, meninas na janela, um burrinho, um menino azul, duas velhinhas que tomavam chocolate quente, fomos à Chácara do Chico Bolacha na companhia de Cecília Meireles; também conhecemos um pouquinho mais de José Paulo Paes, Ruth Rocha, Mário Quintana e outros poetas que entusiasmaram as crianças a se aventurarem nos caminhos inventivos da escrita”.

Amanda ainda explica como a diversidade foi abordada pelas crianças. “Temas como natureza, animais, escola, brinquedos, amigos e cenas cotidianas permitiram aos nossos pequenos escritores trabalharem a diversidade em variados contextos. Nossos diálogos giraram em torno do respeito e da inclusão, sobretudo pelo viés das diferenças. Foi assim que as poesias, os acrósticos e as divertidas imagens surgiram. De forma alegre e inventiva passeamos com rimas, cores, estrofes e versos”.
Mais informações com a professora Amanda: (48) 9957-4727.

fonte: Moacir Loth

 

Compartilhar