Lançamentos das Editoras Universitárias

Lançamentos das Editoras Universitárias

Políticas públicas e as transações em regiões turísticas
O professor do curso de Turismo da Universidade Federal do Paraná, Bruno Martins Augusto Gomes, lança neste sábado (4/7) a obra "Políticas públicas e as transações em regiões turísticas".
 
O lançamento será no lounge do Núcleo de Conhecimento, durante o 4º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil, no Anhembi, em São Paulo, das 19 às 20 horas.
 
Na obra, o professor analisa a influência de políticas públicas de regionalização do turismo nas transações comerciais de três localidades do Estado de Minas Gerais.
 
O turismo é um setor intensamente afetado por novas políticas governamentais, já que elas costumam alterar a articulação dos agentes que compõem uma rede turística regional.
 

Identificação e alteridade no discurso publicitário: imagens de Brasil
Como a publicidade brasileira contribuiu para a construção de uma identidade nacional dentro e fora do país? A questão será debatida nesta segunda-feira, dia 6 de julho, a partir das 10h, durante a palestra "Identificação e alteridade no discurso publicitário: imagens de Brasil", com a pesquisadora Rosane da Conceição Pereira, no Museu Nacional. O evento marca o lançamento de seu livro Discurso e Publicidade: dos processos de identificação e alteridade pela propaganda brasileira (EdUFF, 206p., R$30,00) e tem entrada franca. O museu fica na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, Rio de Janeiro.

A partir da perspectiva da análise do discurso, Rosane da Conceição – que também é publicitária – revela como os profissionais da área sempre atuaram no sentido de agradar o estrangeiro, em especial, para obter reconhecimento fora do país. Para fundamentar a afirmativa, a autora traça a evolução da prática no Brasil, dos tempos anteriores à chegada da Família Real (e da imprensa) até os dias atuais. Ponto-chave do estudo, a questão da alteridade – a visão do outro – é indicada em três etapas bem definidas: o olhar do brasileiro sobre ele mesmo; o olhar do estrangeiro sobre o brasileiro; e, por último, o olhar do brasileiro sobre o estrangeiro.
 
Essas relações são apresentadas de forma clara e objetiva, por meio da análise de prêmios, campanhas publicitárias e textos midiáticos, de tal forma que o leitor poderá usar o mesmo método para avaliar também notícias e filmes. Discurso e Publicidade é um trabalho inovador que apresenta uma crítica à sociedade brasileira e de como as outras culturas percebem a nossa através das lentes da propaganda de uma forma, até agora, desconhecida do público em geral.

Trabalho e pessoas com deficiência – pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico

O livro “Trabalho e pessoas com deficiência – pesquisas, práticas e instrumentos de diagnóstico”, organizado pela professora da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) Maria Nivalda de Carvalho Freitas(Dpsic) ,e pelo professor da UFMG Antônio Luiz Marques. Será lançado no próximo dia 4 de julho, das 9h às 13h no Café da Travessa e Livraria, localizado à Avenida Getúlio Vargas, 1405 – Savassi em Belo Horizonte (MG).
 
A obra é uma coletânea de pesquisas sobre a inserção de pessoas com deficiência no mercado, análises de experiências de inclusão em empresas públicas e privadas e apresentação de ferramentas que podem auxiliar as organizações no processo. Contribuíram com o livro pesquisadores e profissionais de recursos humanos de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás, Santa Catarina, Bahia e Distrito Federal.
 
Cerca de oito milhões de trabalhadores portam algum tipo de deficiência. Pode parecer muito, mas isso representa só metade do total de pessoas com deficiência que estão em idade de trabalhar. A outra metade encontra as portas do emprego fechadas pelo preconceito ou pela falta de adequação das empresas.
 
O estudo aponta que a principal responsável pela exclusão das pessoas com deficiência das empresas é a falta de informação, mas há outros fatores que se combinam, de acordo com Marques. “Os gestores e profissionais de Recursos Humanos desconhecem as possibilidades de trabalho das pessoas com deficiência e isso gera dificuldade para recrutá-las. Outro problema é a baixa qualificação profissional de parcela significativa dessas pessoas.”
 
A professora Maria Nivalda acrescenta que mais um entrave é a seletividade que já existe no processo de recrutamento dos portadores de deficiência. “As empresas priorizam a contratação de pessoas com deficiência física parcial em prejuízo dos demais tipos, inclusive cadeirantes. As deficiências visual, mental e múltipla têm sido as menos inseridas nas organizações.”
Muito a aprender
 
O fato de uma empresa abrigar portadores de deficiência em seu quadro funcional não garante que ela seja inclusiva. Marques alerta que “algumas empresas selecionam essas pessoas tendo por critério a deficiência, isto é, são avaliadas pelo que lhes falta e não por suas possibilidades”. A consequência é a inadequação do cargo às competências do trabalhador. O professor cita como exemplos pessoas surdas que são alocadas em ambientes barulhentos sem que sejam consideradas suas habilidades específicas, ou a criação de setores formados inteiramente por pessoas com deficiência, de forma a segregá-las dos demais empregados.
 
Por outro lado, o estudo revelou iniciativas bem-sucedidas. Maria Nivalda destaca um programa criado por empresa de São Paulo que oferece qualificação profissional para portadores de deficiência e garante os recursos necessários para sua permanência no emprego, como intérpretes de Libras e adaptações arquitetônicas. “Lá, essas ações são sempre compreendidas como investimento que a empresa faz em pessoas – e nunca como gasto, custo ou despesa”, avalia.
 
No entendimento da professora da UFSJ, para que mais empresas atinjam o mesmo resultado é necessário mudar a forma de perceber a questão. “Precisamos deslocar nossos olhos da deficiência para a sociedade. A tarefa da sociedade e das organizações é dar igualdade real de oportunidade para as pessoas. Daí para frente, é com elas e com suas diferenças individuais.”
Primeira experiência
Filipe Chaves
 
Há dois meses, Bruno Pinheiro (foto ao lado), estudante do 6º período de Comunicação Social da UFMG, faz estágio na rádio UFMG Educativa, onde acumula duas funções: é produtor do programa Universo Literário e apresentador do Em Caráter Experimental. Cego, Bruno não teve problemas para se acostumar com o trabalho, já que o rádio sempre foi um de seus principais companheiros: “Eu escuto rádio desde pequeno e vim para a Comunicação sonhando com isso. Estou no lugar certo.”
 
Quem precisou se adaptar foi a emissora, que nunca tinha recebido um estagiário com deficiência. Nada de cadeiras espalhadas ou telefones fora do lugar. “Ele precisa saber onde as coisas estão para poder trabalhar”, explica o coordenador-executivo da rádio, Elias Santos. Outra medida foi instalar em todos os computadores um software livre que lê telas. Bruno já tem um instalado em seu laptop, inclusive melhor que o adotado pela rádio, mas Elias defende que a opção pelo programa gratuito foi a melhor. “Colocamos o software em todos os computadores para que ele possa trabalhar em qualquer um deles. Se usar só o laptop dele, acaba não se integrando à equipe”, argumenta.
 
Para Bruno, o ideal seria ter no trabalho o mesmo programa de seu computador pessoal, mas entende a escolha da emissora. “Ele é muito caro. No mais, a rádio faz o possível para me dar condições de trabalhar.” Para Elias, o desafio é necessário. “Seria mais cômodo ter só estagiários que enxergam, mas a experiência é gratificante.”

UFF promove lançamento coletivo de sua editora 

O Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense fará lançamento de diversos livros da Editora da UFF (Eduff) no dia 9 de julho, às 19h, na Livraria Argumento, Rua Dias Ferreira, 447, Leblon, Rio de Janeiro. As obras são “Conversas ao sul: ensaios sobre a literatura e cultura latino-americana”, de Lívia Reis; “Sobre mulheres e estrangeiros: alguns romances de Olga Gonçalves”, de Sílvio Renato Jorge; “Narrativa biográfica e outras artes: reflexões sobre escrita literária e criação estética na ‘Trilogia da mão’, de Mário Claúdio”, de Dalva Calvão; “Valores do abjeto”, de Ângela Maria Dias e Paula Glenadel (organizadoras); “Interação, contexto e identidade em práticas sociaias”, de Fernando Afonso de Almeida e José Carlos Gonçalves (organizadores); As certezas de Don Quixote: configurações do homoerotismo masculino em narrativas hispano-mericanas”, de José Carlos Barcellos.

 

Ufam
A Editora da Universidade Federal do Amazonas (Edua) promove, no dia 30 de junho, às 19h, no auditório Eulálio Chaves, lançamento de vários livros e homenagem aos professores Hidembergue Frota, Luiz Irapuan Pinheiro, Odenildo Sena e Dayse Botelho.

1.100 Anos UFAM, de Rosa Brito, 2008
2.A Criança Indígena na Escola Urbana, de Maria do Céu Bessa Freire, 2009 3.A Origem da Noite, de Feliciano Lana, 2009 (Série Autores Indígenas) 4.A Sociologia de Florestan Fernandes, de Renan Freitas Pinto, 2008 5.Amazônia no Cenário Sul-Americano, de José Aldemir (org.), 2009] 6.Aqui é Melhor do que lá – Representação social da vida urbana das populações migrantes e seus impactos socioambientais em Manaus, de Maria do Perpétuo Socorro Chaves da Silva, 2009 7.Arte e Ontologia em Heidegger, de Teresinha Tribuzy, 2009 8.Aspectos da Cultura Tukano, de Marc Fulop, 2009 9.Cidades Brasileiras, de José Aldemir, 2009 10.Começos de Arte na Selva, de Theodor Koch-Grünberg, 2009 11.Doenças da Tireóide, de José Maria Cabral, 2009 12.Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos numa perspectiva educacional, de José Paulino Jr., 2009 13.Índios Urbanos – Processo de Reconformação das Identidades Étnicas Indígenas em Manaus, de Roberto Jaramillo Bernal, 2009 14.Jauapery, de Alípio Bandeira, 2009 15.La Belle Vitrine – Manaus entre dois tempos (1890-1900), de Otoni Mesquita, 2009 16.Manaus e Liverpool – Uma ponte marítima centenária – Anos finais do Império/Meados do século XX, de David Pennington, 2009 17.Nos Subúrbios do Desejo – Masculinidade e sociabilidade em Nossa Senhora do Desterro no Século XIX, de Antônio E. Morga, 2009 18.Revista Amazônida, ano 11 – n.2 – jul./dez. 2006, PPG em Educação da UFAM 19.Revista Amazônida, ano 12 – n.1 – jan./jun. 2007, PPG em Educação da UFAM 20.Revista Somanlu, a.6, n.2, jul./dez. 2006, PPG Sociedade e Cultura na Amazônia da UFAM 21.Revista Somanlu, a.7, n.1, jan./jun. 2007, PPG Sociedade e Cultura na Amazônia da UFAM 22.Revista Somanlu, a.7, n.2, jul./dez. 2007, PPG Sociedade e Cultura na Amazônia da UFAM 23.Sociedade e Cultura na Amazônia, de Nelson Matos de Noronha, 2008 24.Arquitetura do Poder, de Iraildes Torres Caldas, 2009 25.Fundamentos da Saúde Ambiental, de Leandro Giatti, 2009 26.Diálogo Interétnico, Giancarlo Steffani, 2009

 

Formação e Trabalho de Professores
O técnico em Assuntos Educacionais do Núcleo de Apoio Didático-Pedagógico (NADP), Sérgio Wagner de Oliveira, lançou, este mês, o livro “Formação e Trabalho de Professores”, pela Editora Ufla.
Destinado àqueles que trabalham em salas de aula, estudantes de licenciaturas e a todos que almejam o magistério como carreira, o livro enfoca os conhecimentos básicos exigidos pelo profissional da educação no exercício da atividade docente, desde a conceituação de “Professor” até como trabalhar em grupos.
Segundo o autor, os meios de comunicação têm destacado a preocupação de governo e da sociedade com ações que permitam a melhoria de qualidade dos profissionais de educação para que, consequentemente, o resultado venha a se refletir nas salas de aula.
Dentro disso, “a revista Veja, em sua edição dos 40 anos, aponta que uma das ações a serem realizadas para o Brasil se desenvolver é investir na formação dos professores e de quem forma os professores. A publicação afirma que falta, na cadeia do ensino, uma outra categoria além de professores, pedagogos e diretores: a dos profissionais que ensinam os professores a ensinar”, explica Sérgio Wagner.
E essa é uma das atividades desenvolvidas pelo NADP, órgão da Ufla do qual o autor faz parte apresentando seminários, palestras e ministrando cursos de capacitação para professores e estudantes de pós-graduação.

Concepção e gestão da proteção social não contributiva no Brasil

Esta publicação da Unesco é parte de um processo de formação continuada dos profissionais que atuam em serviços públicos sociais dos estados e municípios do Brasil, e que permitem garantir a qualidade e a competência necessárias para dar permanência e efetividade à política pública da assistência social.

UFMG
Modernidades alternativas na América Latina assinala a distinta posição que as culturas dos países periféricos assumem diante dos arquivos legados pela modernidade ocidental. A presença de especialistas nacionais, europeus e latino-americanos, em torno de temas comuns – a arquivística, a editoração de livros, a crítica genética e suas vertentes metodológicas e teóricas – se conjuga com a reflexão contemporânea sobre a complexa releitura do moderno no seu aspecto plural e fragmentário.
Modernidades alternativas na América Latina
Eneida Maria de Souza; Reinaldo Marques (org.)
Área: Literatura | Crítica Literária
Coleção: Humanitas
2009. 495 p. ISBN: 978-85-7041-688-9
Preço: R$ 69,00

 

César Brie, Juan Radrigán, Ramón Griffero, importantes dramaturgos do teatro latino contemporâneo, e Michel Azama, cujos trabalhos abordam constantemente temas latinos, estão reunidos nesta Antologia teatral da latinidade, que pretende levar ao público brasileiro um pouco da cena teatral contemporânea. Ela contribui para preencher o vazio das prateleiras de textos teatrais, bastante negligenciados pelo mercado editorial brasileiro. Os autores têm seu percurso apresentado em uma introdução que dá ao leitor uma noção de sua importância nos seus países: Argentina, Bolívia, Chile e França. Leitura fundamental para quem se interessa pelo olhar da arte dramática sobre questões contemporâneas da América Latina e da humanidade.
Antologia teatral da latinidade
César Brie, Juan Radrigán, Ramón Griffero e Michel Azama, Marcos Antônio Alexandre; Maria Lúcia Jacob Dias de Barros; Sara Rojo (org.)
Área: Literatura | Artes Cênicas | Ética
Coleção: Palimpsesto
Apoio: Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos Literários | Faculdade de  Letras da UFMG
2009. 246 p. ISBN: 978-85-7041-671-1
Preço: R$ 35,00

As análises neste livro buscam substantivamente conciliar as faces pragmática, semântica e sintática de Construções lexicais e gramaticais do Português do Brasil. Bem-sucedida esta empreitada, ela, certamente, desarruma a casa daquela Linguística que aloja o estudo do sentido e o estudo da forma em quartos separados, assegurando aos interessados uma convivência harmoniosa, mas, a nosso ver, muito menos fecunda do que prometeram os estudos da linguagem praticados no último século.
Construções do português do Brasil – da gramática ao discurso
Neusa Salim Miranda; Maria Margarida Martins Salomão
Área: Linguística | Gramática | Letras
Obra avulsa
Apoio: Capes (por meio do Programa Prodoc)
2009. 389 p. ISBN: 978-85-7041-719-0
Preço: R$ 53,00

 

 

Compartilhar