Livro da UFMG analisa impacto de parcerias público-privadas sobre o espaço urbano

Livro da UFMG analisa impacto de parcerias público-privadas sobre o espaço urbano

Obra foi resultado de colaboração entre grupos de pesquisa da UFMG, da USP e da UFC
Foi lançado neste mês de maio, o livro Cidade Estado Capital: reestruturação urbana e resistências em Belo Horizonte, Fortaleza e São Paulo, resultado da parceria entre os grupos de pesquisa Praxis e Indisciplinar, da Escola de Arquitetura da UFMG, LabCidade, da Universidade de São Paulo (USP), e Lehab, da Universidade Federal do Ceará (UFC). A obra aborda como a associação crescente entre Estado e setor privado tem provocado transformações no espaço urbano e em suas formas de governo, com enfraquecimento dos espaços democráticos de decisão.

O livro já está disponível gratuitamente em formato digital e pode ser acessado aqui 

Mais informações pelo site do grupo Praxis e do Indisciplinar.

A publicação apresenta os resultados da pesquisa Financiamento do desenvolvimento urbano, planejamento, inclusão socioterritorial e justiça social nas cidades brasileiras, desenvolvidas nos anos de 2016 e 2017, nas três universidades. O objetivo dessa pesquisa foi analisar e monitorar Parcerias Público-Privadas (PPPs) voltadas ao desenvolvimento urbano em Belo Horizonte, São Paulo e Fortaleza, seus impactos sobre os processos e territórios que pretendem reestruturar e as formas de resistência a esses processos.

A professora Denise Morado, coordenadora da pesquisa realizada pelo Praxis, explica o trabalho: “Analisamos de modo relacional 21 Grandes Projetos Urbanos (GPUs) no Vetor Norte da Região Metropolitana de Belo Horizonte, caracterizado como eixo de expansão do mercado imobiliário e impulsionado por investimentos do governo de Minas. O trabalho confirmou hipóteses como a de que a narrativa de crise é evidenciada pelos discursos de parceiros envolvidos nos projetos analisados. Eles sustentam que as PPPs e os grandes projetos são a solução que beneficiará a cidade, valendo-se, por exemplo, de abstrações de inovação, nova economia e investimento globalizado”.

 

Compartilhar