Mais de 56 mil estudantes se preparam para as provas do PAS-UnB 2018

A aplicação do Programa de Avaliação Seriada da Universidade de Brasília (PAS-UnB) ocorre neste domingo (9), a partir das 13h. Ao todo, são 56.904 cadidatos inscritos, sendo 24.264 na primeira etapa; 20.380 na segunda e 12.260 na terceira. Eles farão provas de conhecimentos e de redação em 75 locais. 

Neste ano, para a terceira etapa do Subprograma 2016-2018, a UnB irá oferecer 4.222 vagas, sendo 2.112 oportunidades para o primeiro semestre e 2.110 para o segundo semestre de 2019. 

Cerca de 4 mil colaboradores do Cebraspe participam da organização do exame, que prestará atendimentos especiais a 235 estudantes, entre auxílio para leitura, salas para amamentação, mesas de cadeiras separadas, intérpretes de libras e outros. 

Os locais de prova estarão disponíveis ainda nesta terça-feira (4), segundo o Cebraspe, pelo site www.cespe.unb.br/pas/. A consulta é feita por meio do CPF do estudante. 

SISUnB

Desde o segundo semestre de 2016, os candidatos a uma vaga na UnB pelo PAS ou vestibular tradicional contam com o Sistema Informatizado de Seleção dos Cursos de Graduação da UnB (SISUnB). Durante o período em que o sistema está aberto, os candidatos podem conferir o espelho de desempenho provisório e a nota de corte nos cursos ofertados. Assim, se perceber que a pontuação é insuficiente para o curso pretendido, o estudante pode tentar uma vaga em outra opção. Os estudantes podem trocar a opção de curso/câmpus/turno quantas vezes quiserem até o fim do prazo, sendo considerada válida a última opção registrada pelo sistema. 

O PAS é o caminho mais fácil

A menos de uma semana da prova, candidatos se preparam para a avaliação seriada

Apesar de o nível de dificuldade das questões do PAS ser maior se comparado ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os professores alertam que a prova de abrangência local é a opção mais fácil para quem deseja estudar o ensino superior na UnB. “É o caminho mais fácil, porque a avaliação é seriada e metade das vagas da UnB são reservadas para esse vestibular. A quantidade de vagas por curso é maior”, afirma a professora de química do Colégio Marista da Asa Sul Akemi Vidigal Carvalho. 

A estudante Giovana Madeira, 17 anos, busca uma vaga em medicina veterinária. “Definitivamente, é mais tranquilo entrar na UnB por meio do PAS, porque a prova é mais objetiva. Cada item da prova do Enem tem texto longo para analisar”, avalia a aluna do terceiro ano no Centro de Ensino Médio Setor Oeste (Cemso). Para ela, não há mais tempo de aprender conteúdo novo. “O tempo, basicamente, é só para revisar, rever as fórmulas e relembrar para não esquecer no dia da prova”, complementa. 

Ansiedade é quase unânime

A menos de uma semana da avaliação é comum encontrar alunos nervosos antes da prova decisiva. É o caso de Roney Olímpio, 17, que sentiu nas etapas anteriores os prejuízos por causa da inquietude. “Sou bastante ansioso. Tive de tomar remédio na última noite antes do Enem, porque não conseguia dormir”, relata. O aluno do Centro de Ensino Médio Paulo Freire quer uma vaga em direito e está confiante na aprovação.

Vitória Maira, 15, ainda não se decidiu sobre o curso. Está entre ciência política e gestão de políticas públicas. Aluna do Colégio Ideal, ela fará o PAS pela primeira vez e se preocupa com o estado emocional. “Em outras avaliações já fiquei desesperada. Comecei a chorar e parei. Não consegui voltar para responder as que havia deixado em branco”, relembra. Agora, a estudante do cursinho Exatas se prepara fazendo exercícios e as provas da seleção dos últimos três anos. 

Fique atento

Além da mudança do dia da prova, que costuma ser realizada no primeiro domingo do mês, o professor no Centro Educacional Sigma e da Secretaria de Educação, Edivaldo Monte dos Santos, alerta os alunos da primeira etapa sobre uma alteração na matriz de conteúdo. “Algumas obras foram retiradas e novas obras agregadas à matriz da primeira etapa”. Segundo ele, em três anos haverá substituição total. 

Vitor Ressiguier, 16, faz o primeiro ano no Colégio Militar de Brasília. O jovem está se preparando para cursar direito ou seguir carreira na aeronáutica e aproveita os últimos dias antes do certame para resumir toda a carga teórica e fazer exercícios do cursinho e da escola. Na hora da prova, ele vai adotar a estratégia recomendada pelos professores: nada de chute. “Sou ruim em exatas. Vou resolver o máximo que sei, focando na parte de humanas, que é onde me dou bem”, argumenta.

Os itens do Tipo A são objetivos e cada resposta errada anula uma certa. Deixar a questão em branco é a melhor opção para o participante indeciso. “A prova exige responsabilidade do estudante. O fator de correção acaba inibindo o chute”, orienta Edivaldo, professor de filosofia e sociologia. 

Ana Paula Tombini, 17, está controlando a ansiedade para repetir o bom desempenho que teve em 2017, na primeira etapa. “Fui bem em comparação aos outros candidatos. Fiz o PAS 1 relaxada e acabei me surpreendendo com o resultado”, conta. A candidata a uma vaga em medicina acha que refazer as provas anteriores é essencial na preparação. “A banca sempre cobra um modelo específico, tem um padrão. É importante conhecê-la para não deixar de fazer uma questão por não saber uma palavra ou expressão que cai”, revela.

De acordo com o estudante Lucas Maciel, 15, o segredo para ir bem é não negligenciar o conhecimento sobre as obras e expressões culturais presentes na prova. “Cai bastante conteúdo relacionado à arte e à música”, aponta. Para ele, não adianta estudar algo novo. O momento é de revisar e parar um dia antes da prova. “Na última semana, recomendo ler as anotações no caderno para relembrar tudo”, aconselha. 

Nota de corte

A lista com os argumentos mínimo e máximo para cada curso, em 2017, pode ser acessada aqui

Dicas dos professores 

Leia a prova rapidamente, de forma corrente, verificando questões que podem abordar o tema da redação. Segundo o professor Edivaldo, textos e questões de tipo A e C costumam dar um norte;

Não responda todas as questões. Marque somente aquelas que tem certeza e mais segurança. Lembre-se do fator de correção;

Não se precipite. Analise as questões com calma, sem exceção;

 “Cerca 30% do desempenho positivo na prova se dá em saber calcular o tempo, priorizando o que sabe”, afirma Edivaldo;

Invista tempo nas questões de Tipo D, justamente porque não tem penalidade, orienta a professora Akemi;

“Não pode perder muito tempo nas tipo A. Se entendeu, julga. Marca com asterisco se tiver alguma dúvida. Se não sabe, siga e, se sobrar tempo, volta e tenta resolver”, aconselha Akemi;

“O candidato deve preparar com antecedência todos os materiais necessários: a caneta esferográfica; água para se hidratar durante a prova; alimento no saco transparente. Deve estar no local da avaliação com, no mínimo, uma hora de antecedência, por conta do trânsito. Durma bem na noite anterior e se alongue durante a prova”, conclui;

Fontes: Edivaldo Monte dos Santos, professor de sociologia e filosofia e pós-graduado na última pela UnB; Akemi Vidigal Carvalho, professora de química no Colégio Marista da Asa Sul. 

Fique de olho

Data das provas (1ª, 2ª e 3ª etapas): Domingo (9) 

Duração das provas: Cinco horas

Abertura dos portões: 12h

Fechamento dos portões: 13h

Alimentação: os candidatos só podem acessar o local de provas com alimentos em recipientes transparentes, tanto embalagens quanto garrafas.

O que levar obrigatoriamente: 

Caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente; e 

Comprovante de solicitação de inscrição ou comprovante de pagamento da taxa de inscrição, além de documento de identidade original;

Documentos aceitos: 

Carteira expedida por Comando Militar, Secretaria de Segurança Pública, Instituto de Identificação e Corpo de Bombeiros Militar; Carteira expedida por órgão fiscalizador de exercício profissional (ordens, conselhos, etc.); Passaporte brasileiro; Certificado de reservista; Carteira funcional do Ministério Público; Carteira funcional com valor de identidade expedida por órgão público (conforme lei federal); Carteira de trabalho; Carteira nacional de habilitação; Boletim de ocorrência no prazo de validade (90 dias).

Não aceitos: 

Carteira de estudante; Certidão de nascimento; CPF; Título de eleitor; Carteira funcional sem valor de identidade; Carteiras nacionais de habilitação digitais (modelo eletrônico); e

Documento ilegível, não identificável e/ou danificado; Cópia do documento de identidade (ainda que autenticada); Protocolo do documento de identidade.

Deixe em casa: 

Livros, anotações, réguas de cálculo, impressos ou qualquer outro material de consulta;

Máquina calculadora, agenda eletrônica ou similares; telefone celular, smartphone, tablet, gravador, pendrive, MP3 player ou similares;

Receptor ou transmissor de dados e mensagens, bipe, notebook, palmtop, walkman, máquina fotográfica;

Controle de alarme de carro;

Relógio de qualquer espécie, óculos escuros, protetor auricular, chapéu, boné, gorro;

Lápis, lapiseira/grafite, marca-texto e borracha; e 

Quaisquer recipientes que não sejam fabricados com material transparente (como garrafas ou embalagens de alimentos). 

Fonte: Correio Braziliense

Compartilhe: