MEC afirma que 2º semestre do SISU terá 59 mil vagas em todo o país

Começam hoje as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Segundo o Ministério da Educação (MEC), a segunda etapa do programa em 2019 tem a maior oferta em 10 anos. São 59.028 vagas, em 1.731 cursos e 76 instituições participantes. Os interessados têm até sexta-feira para se candidatar, por meio do site sisu.mec.gov.br. O resultado será divulgado em 10 de junho. Os participantes poderão ainda conferir a lista de espera entre 11 e 17 de junho.

Sisu/Reprodução

Os estados com mais vagas são Rio de Janeiro, com 12.973; Minas Gerais, com 8.479; Bahia, com 6.745; e Paraíba, com 5.990 vagas. A instituição com maior número de oportunidades é a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que oferece 4.388 vagas. No Distrito Federal, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB) tem 480 oportunidades disponíveis para os cursos de administração, agroecologia, biologia, eventos, gestão pública, processos gerenciais, sistemas para internet e matemática.

De acordo com o secretário de Ensino Superior do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, o bloqueio de R$ 1,704 bilhão no orçamento das universidades e institutos federais não surtiu impacto na admissão de novos alunos. “Não temos notícia de que tenha sido prejudicada. A gente acha que pode ser ofertado até mais, considerando o período noturno, e estamos conversando com as instituições”, afirma o secretário.

Contradição

Para a professora de política educacional da Universidade de Brasília (UnB) Catarina de Almeida Santos, embora o crescimento seja positivo, a expansão do número de vagas ocorre em cursos de baixa procura. O especialista em educação da Universidade de Brasília (UnB) Cleyton Gontijo também é simpatizante do Sisu, mas aponta que o anúncio do MEC é contraditório em meio aos cortes contingenciais de 30%.

“Esse pronunciamento é cheio de contradições num contexto em que o governo corta recursos das universidades e anuncia o aumento de oferta de vagas pelo Sisu. Para manter esse aumento, o governo deveria voltar atrás e acabar com esse corte que tem chamado de contingenciamento”, afirmou.

Podem participar do Sisu os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero. Durante o período de inscrição pelo Sisu, uma vez ao dia, o sistema calcula a nota de corte, que é a menor nota para o candidato ficar entre os potencialmente selecionados.

Em um balanço do primeiro processo do ano, o Sisu teve 2,11 milhões de inscritos e 4,14 milhões de inscrições, uma vez que cada aluno pode escolher até duas opções de curso.

O que é preciso

Para se inscrever no Sisu, o candidato deve informar o número de inscrição e senha cadastrados no Enem de 2018. Caso o candidato não se lembre, pode recuperar na página do Enem. A inscrição é feita exclusivamente pela internet, na página do Sisu, sem a cobrança de taxas. Ao realizar a inscrição, o candidato deve estar atento aos documentos exigidos pelas instituições para a efetivação da matrícula, em caso de aprovação. Essa informação estará disponível no Sisu, no momento da inscrição. Ao finalizá-la, o sistema possibilita ao candidato a impressão do comprovante de inscrição.

Fonte: Correio Braziliense

Compartilhe: