MPF denuncia professor universitário que fraudou diploma de doutor

MPF denuncia professor universitário que fraudou diploma de doutor

Promotoria quer condenação por estelionato, com pena de reclusão de um a cinco anos, e devolução do montante pago para ele – R$ 67 mil

Goiânia – Um professor universitário que recebeu mais de R$ 60 mil em salários pagos com base no título de doutor que ele apresentava – e que era falso – foi denunciado pelo Ministério Público Federal em Goiás. Dnilson Carlos Dias era professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), quando, segundo a denúncia, usou um título falso de doutor para conquistar promoção na carreira funcional. A fraude durou quase dois anos.

O MPF quer a condenação por estelionato, com pena de reclusão de um a cinco anos, e a devolução do montante que foi pago para ele em 37 vezes, até o total de aproximadamente R$ 67 mil.

Dias já foi demitido pela UFG, que descobriu a fraude por meio de um processo disciplinar aberto contra ele. Nesta terça-feira, 8, o professor não foi localizado pela reportagem no telefone residencial e não retornou o recado para comentar o assunto, deixado no celular.

O MPF também ajuizou contra ele uma ação de improbidade administrativa. As investigações comprovaram que em dezembro de 2009, quando ainda professor assistente nível I, Dias requereu à reitoria da UFG uma progressão vertical na carreira, que funciona como promoção. Ele então passou para a classe de adjunto nível 1, que tem um salário mais alto.

De acordo com a denúncia divulgada nesta terça-feira, 8, Dias conseguiu isso usando uma declaração supostamente emitida pelo coordenador do Programa de Pós-Graduação em Economia Aplicada do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa. A declaração atestava que o professor havia defendido a tese intitulada Retornos Sociais e Privados à Educação no Brasil: Uma Perspectiva Econométrica e obtido aprovação. Desse modo, conseguiu o título de doutor com parecer favorável da Comissão Permanente de Pessoal Docente da UFG.

A investigação mostrou que, ao formular o requerimento, o professor ainda estava cursando o doutorado “e não havia sequer depositado, tampouco apresentado sua tese”. Ao analisar a declaração de apresentação e aprovação da tese, o MPF apurou que ela não era autêntica e que até o histórico escolar que Dias apresentou tinha sido adulterado com a inclusão de informações falsas quanto à sua data de emissão e às anotações a respeito da defesa da tese.

Segundo o autor da denúncia, o procurador da República Helio Telho Corrêa Filho, a pena por estelionato pode ser aumentada em um terço. Cabe à Justiça Federal acolher ou não a denúncia.

Marília Assunção – O Estado de S. Paulo

 

 

Mosaic Father’s Day Deal Buy 1 Get 1 with code
free games online For such a cult item

A Latest Trend among Buyers
cheap bridesmaid dresses how about with a sports coat or blazer

Bags for Every Type of Storage
cheap flights That unsolved mystery hasn’t exactly become legend

Korean Premium Fashion Online Shopping
forever 21 Not only is ILM and Skywalker Sound his creations

6 Japanese Subcultures That Are Insane Even for Japan
onlinegames Coco Chanel died in 1971 at the age of 87

Troon North Golf Club Hotels
miniclip guardian through the energy vol

Tips for Attending NYC Fashion Week Video
kleider Stylish Haircuts for Girls

How to Sketch Fashion Designs
ballkleider the effect will be even better

Compartilhar