‘Não há vantagem em mensalidade na universidade pública’, diz Renato Janine

‘Não há vantagem em mensalidade na universidade pública’, diz Renato Janine

O ex-ministro da Educação Renato Janine disse não ver vantagem no pagamento de mensalidades nas universidades públicas do Brasil. Para ele, o ideal seria que o pagamento acontecesse no imposto de renda.

“Quem ganha 5 mil ou 50 mil paga a mesma alíquota de imposto de renda. Mexer no imposto seria muito mais justo do que mexer na universidade. Prefiro que todas pessoas mais ricas paguem pelo ensino gratuito do que apenas as que estão na universidade”, disse.

Janine foi 1 dos convidados do 2º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação. O evento é promovido pela Jeduca, associação criada por jornalistas que cobrem educação.

A cobrança de mensalidade deve ganhar repercussão nas campanhas eleitorais de 2018 diante do cenário de deficit fiscal. O candidato à presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, já afirmou que não descarta a possibilidade de acabar com a total gratuidade nas universidades públicas.

No programa Central das Eleições, da Globonews, o tucano disse que a questão está sendo estudada por sua equipe, em especial a alternativa de cobrar mensalidade de alunos mais ricos. Ele ainda defendeu a cobrança nos cursos de pós graduação.

CORTES NA CAPES

Janine também criticou o corte orçamentário programado pelo governo federal para a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) em 2019. A diminuição de recursos levaria à suspensão de 200 mil bolsas de pós-graduação, de mestrado e de iniciação à docência.

“O corte é obviamente um absurdo. O orçamento da Capes vem despencando desde 2016”, afirmou.

Ele ressalta que a falta de previsão orçamentária para o próximo ano é mais problemática do que o contingenciamento de recursos da área. “Claramente mostra uma posição em relação a educação, que é posição do atual governo”, disse.

Fonte: Poder360

Compartilhar