Neurologista francês fala sobre os desafios da ciência na UFRN

Neurologista francês fala sobre os desafios da ciência na UFRN

Nesta sexta e sábado, dias 28 e 29, o neurologista, psiquiatra e etólogo francês Boris Cyrulnik está em Natal para proferir conferência. No Brasil, o estudioso também passará por Porto Alegre, Rio de janeiro, e Salvador. Nas quatro capitais Cyrulnik ministrará conferências no 'II Ciclo Internacional de Resiliência e Cultura'. Na UFRN, convidado pelo Grupo de Estudos da Complexidade da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (GRECOM), o francês abordará o tema 'Da etologia a resiliência: desafios da ciência', às 17 horas, do dia 28 no Auditório do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ciências Sociais Aplicadas (NEPSA).

Após a conferência será lançado o livro "Autobiografia de um espantalho", que acaba de ser publicado pela Martins Fontes para receber o autor no Brasil. A editora está apoiando a vinda do pesquisador ao país, juntamente com outros parceiros do evento, tais como: Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e o Núcleo Psicanalítico de Natal e a Universidade Potiguar (UNP).

Boris Cyrulnik é um intelectual de renome e importância na comunidade científica, pois redimensionou o campo da etologia (o estudo do comportamento humano e animal) e é considerado o pai da Resiliência (campo do saber que estuda a capacidade dos seres humanos de superar as adversidades da vida). O termo foi retirado da física e refere-se à propriedade que certas matérias têm de, depois de sofrer mudança de forma, voltar ao seu estado original.

Atualmente Cyrulnik é responsável pelo grupo de pesquisa em Etologia Clínica no Hospital de Toulon, professor de Etologia Humana na 'Université du Sud-Toulon-Var' e possui cerca de duzentos artigos publicados. É autor de 50 livros, tendo sido os seguintes títulos publicados no Brasil: 'Os Patinhos feios', 'O Murmúrio dos fantasmas' e 'Falar de Amor à beira do abismo'.

Compartilhar